Auditores internos capacitam servidores sobre folha de pagamento

Em parceria com a Fundação Escola de Governo ENA, os auditores internos do Poder Executivo coordenam, hoje (8), uma capacitação com os servidores estaduais que trabalham nas unidades de controle interno do Estado e utilizam o Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH). A ferramenta foi pensada para otimizar os gastos da folha de pagamento e ajudar a evitar erros e pagamentos indevidos.

A equipe é coordenada pelo auditor interno Sérgio Augusto Michalczuk e conta com a participação dos auditores internos Clóvis Machado e Maurício Martins Arjona e do administrador Wladimir Dalfovo. Participaram deste encontro representantes das secretarias de Segurança Pública, de Educação e da Fazenda, da Fundação de Educação Especial (FCEE) e do Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina (IPREV).

Como consequência, os organizadores esperam que as atividades de controle na área de pessoal serão muito mais eficientes e eficazes. Por isso, ao longo do ano outras novas etapas estão previstas, até que a totalidade dos servidores que atuam nas unidades de controle interno no Poder Executivo estadual seja atingida. Uma primeira etapa já foi realizada em novembro do ano passado.

IMG_4538
A capacitação ocorre nesta terça-feira (8) das 13h30 às 19h na sede da ENA em Florianópolis

Em números


A folha de pagamento dos servidores do Governo do Estado de Santa Catarina custa anualmente cerca de R$ 12,3 bilhões aos cofres públicos. Eles atuam em estruturas distribuídas nas mais diversas realidades, como por exemplo nas áreas da saúde, educação, segurança pública e assistência social. Juntos eles formam o corpo que move o Poder Executivo na missão de servir a sociedade catarinense. Gerenciar toda essa estrutura de recursos humanos é um trabalho enorme, que precisa ser dividido entre gestores diferentes para que a Administração Pública possa avançar.

Estado aprimora o controle da folha de pagamento dos servidores


A folha de pagamento dos servidores do Governo do Estado de Santa Catarina custa anualmente cerca de R$ 12,3 bilhões aos cofres públicos. Eles atuam em estruturas distribuídas nas mais diversas realidades, como por exemplo nas áreas da saúde, educação, segurança pública e assistência social. Juntos eles formam o corpo que move o Poder Executivo na missão de servir a sociedade catarinense. Gerenciar toda essa estrutura de recursos humanos é um trabalho enorme, que precisa ser dividido entre gestores diferentes para que a Administração Pública possa avançar.

Neste sentido, equipe de auditores internos do Poder Executivo organiza, em parceria com a Fundação Escola de Governo ENA, uma capacitação para os servidores que trabalham na unidade de controle interno dos órgãos e entidades do Poder Executivo Estadual. Para otimizar os gastos da folha e evitar erros e pagamentos indevidos, eles passam a utilizar o Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH) como ferramenta de trabalho.

“Os servidores das unidades de controle interno passarão a utilizar as informações disponíveis no SIGRH nas suas atividades de controle na área de pessoal e monitoramento da folha de pagamento”, explica o Auditor Interno Clóvis Coelho Machado, que atua na gerência de Auditoria de Pessoal da Secretaria de Estado da Fazenda. Como consequência, as atividades de controle na área de pessoal serão muito mais eficientes e eficazes.

Machado faz parte da equipe coordenada pelo auditor interno Sérgio Augusto Michalczuk e que conta também com a participação do auditor interno Maurício Martins Arjona e do administrador Wladimir Dalfovo. Juntos, eles realizaram a primeira etapa da capacitação, que ocorreu no dia 27 de novembro. Participaram deste encontro representantes das secretarias de Educação, de Justiça e Cidadania, do Planejamento, do Turismo, Cultura e Esporte, de Articulação Nacional e do Instituto de Metrologia de Santa Catarina.

“O evento foi realizado com sucesso, acreditamos que o nosso objetivo de transmitir aos participantes as informações e orientações necessárias para que, doravante, possam utilizar o SIGRH em suas atividades de controle, foi alcançado”, avalia Machado. Ao longo do exercício de 2018 outras novas etapas estão previstas, até que a totalidade dos servidores que atuam nas unidades de controle interno no Poder Executivo estadual seja atingida.

Juarez Freitas defende a resolução de conflitos para o desenvolvimento sustentável na Administração Pública

“Se nós no serviço público ou na relação com a Administração Pública conseguirmos ser capazes de uma negociação bem-sucedida, seremos agentes de um desenvolvimento sustentável”, afirmou o presidente do Instituto Brasileiro de Altos Estados de Direito Público, Prof. Dr. Juarez Freitas, durante a abertura do Congresso de Direito Público: Administração, Controle e Sociedade. A programação do evento, que iniciou na tarde desta quinta-feira (27), no Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE/SC), segue hoje à tarde com a intervenção de outros especialistas. Entre os participantes, os auditores internos do Poder Executivo Cristina Keller Sartori, Luciana Bernieri Pereira e Sérgio Augusto Michalczuk representam a Auditoria Geral do Estado.

Em sua palestra, com o tema “Direito Público e a Resolução de Conflitos”, Freitas abordou o objetivo 16 da Agenda 2030, que busca promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis. “Como teremos uma sociedade pacífica e sustentável se a Administração Pública continuar passando por conflitos internos e com os cidadãos? Como se faz para erradicar a cultura adversarial no âmbito da administração pública?”, indagou.

Ele apontou ainda alguns caminhos para a resolução de conflitos, que passa pela redução do trabalho burocrático e do uso da inteligência artificial até a necessidade de todos aprendermos a negociar, conciliar, ouvir o outro com empatia e simpatia. “Não podemos ceder ao impulso irracional de participar da cena de discussão”, ressaltou. “Temos que olhar a cena do camarote”, salientou, ao explicar que devemos ficar em um espaço racional e manter a calma e o autocontrole. “No dia-a-dia, temos que tornar os nossos ambientes administrativos mais saudáveis”, enfatizou.

O Congresso de Direito Público é voltado para servidores públicos, profissionais que atuam na área do Direito Público e cidadãos. A programação contempla ainda abordagens sobre sustentabilidade, constitucionalismo, políticas públicas, governança, serviço público, sociedade e governo, jurisdição de contas, controle e fiscalização. Entre os palestrantes, representantes da Corte catarinense, do Tribunal de Contas do Ceará, dos governos do Estado e Federal, do Ministério Público, além de professores e advogados.

A coordenação científica do evento é da auditora substituta de conselheiro Sabrina Nunes Iocken e da assessora do seu gabinete, auditora fiscal de controle externo Vanessa dos Santos, Doutoranda em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A organização é do Instituto de Contas do TCE/SC e conta com o apoio do Instituto de Altos Estudos de Direito, da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), do Instituto Rui Barbosa (IRB), da Associação Nacional dos Ministros e Conselheiros-Substitutos dos Tribunais de Contas (Audicon), da Associação Nacional do Ministério Público de Contas (Ampcon) e do Instituto de Direito Administrativo de Santa Catarina (Idasc).

Os auditores internos Sérgio Augusto Michalczuk (e), Cristina Keller Sartori, Luciana Bernieri Pereira com o professor Juarez Freitas (Foto: Divulgação/Sindiauditoria)

Com informações do TCE/SC