Evento debate Auditoria, Controle interno e Gestão de Riscos na administração pública

O Sindiauditoria realiza no dia 31 de agosto o Seminário Auditoria, Controle Interno e Gestão de Riscos – Melhores práticas para governança no setor público, em Florianópolis. O evento reunirá servidores, gestores públicos e especialistas para abordar conceitos e aplicações práticas, buscando o fortalecimento da atuação dos profissionais no Poder Executivo catarinense. A programação do seminário foi pensada para favorecer o debate sobre os principais desafios que atingem a administração pública.

“Teremos palestrantes experientes que compartilharão suas experiências para mostrar como é possível fazer ainda melhor. Nosso foco é expandir as ferramentas de controle dentro das secretarias, agências e fundações para potencializar o desempenho dos gestores públicos e, consequentemente, melhorar a entrega de resultados à sociedade”, explica a auditora interna Marisa Zikan, uma das organizadoras da iniciativa.

A palestra de abertura será, às 13h30, com Samuel Dal-Farra Naspolini, promotor de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina e coordenador do Centro de Apoio Operacional da Moralidade Administrativa.  Ele apresentará o Programa Unindo Forças, em uma perspectiva que mostra  a participação do MPSC no fortalecimento do Controle Interno em Santa Catarina. Na sequência, os temas Controle Interno, Gestão de Riscos e IA-CM (Implementação do Modelo de Capacidade de Auditoria Interna) serão abordados respectivamente por Henrique Moraes Ziller, controlador-geral da Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF), Rodrigo Fontenelle de Araújo Miranda, chefe da Assessoria Especial de Controle Interno e responsável pela implantação da Gestão de Riscos do Ministério do Planejamento, e Liane Vasconcelos de Araújo Angoti, chefe da Assessoria de Harmonização Central da CGDF.

O evento é organizado com o apoio da Secretaria de Estado da Fazenda, através da Diretoria de Auditoria Geral (DIAG). Um coffee break e um coquetel de confraternização também estão previstos durante o dia. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 30 de agosto através do site: www.sindiauditoria.org.br/eventos.

banner-blog

Programa Unindo Forças 

A partir de um diagnóstico desenvolvido pela Rede de Controle da Gestão Pública de Santa Catarina, que indicou uma atuação extremamente fraca das controladorias municipais, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) desenvolveu o projeto “Unindo Forças” para fortalecer o controle interno nos municípios e trabalhar a prevenção e a repressão ao ilícito. O objetivo da iniciativa é claro: aprimorar o combate à corrupção e à improbidade administrativa, por meio da consolidação dos fluxos de informação entre as prefeituras e as promotorias de justiça.

Controle Interno

O controle interno é uma função administrativa, que busca ajudar o gestor público a agir com legalidade e em conformidade com a norma. É um auxílio para que a execução seja mais eficiente e que os resultados sejam revertidos em serviços prestados de forma mais adequada à sociedade.

Gestão de Riscos

A gestão de riscos corretamente implementada é um caminho para o fortalecimento da integridade das instituições governamentais, visto que identifica ameaças ao cumprimento dos seus objetivos, fixa os limites das responsabilidades dos gestores, identifica os processos da instituição que são mais importantes e requerem controles eficientes e reduz, por exemplo, o risco de fraudes e o desperdício de recursos públicos, otimizando o desempenho e os resultados entregues à sociedade.

Auditoria Interna

O IA-CM é uma ferramenta de planejamento estratégico que funciona como um veículo de visão e comunicação, uma base para avaliação dos trabalhos realizados e um mapa para aperfeiçoamento ordenado da atividade de auditoria interna, razões porque se torna um instrumento útil para os órgãos centrais de sistemas de controles internos. Em outras palavras, o modelo proporciona à atividade de auditoria interna dispor de um instrumento que auxilia na identificação de pontos fortes da atividade e também das áreas nas quais se faz necessário o aprimoramento dos trabalhos.

Serviço

O quê? Seminário Auditoria, Controle interno e Gestão de riscos
Quando? 31 de agosto de 2017, à partir das 13h30
Onde? SC401 Square Corporate em Florianópolis (Como chegar?)

botao-site

Coluna Visor divulga resultados do projeto Auditoria Cidadã

No jornal Diário Catarinense do dia 9 de agosto, o colunista Rafael Martini divulgou com destaque os resultados da primeira inspeção do projeto Auditoria Cidadã, realizada em abril nas escolas públicas estaduais da Grande Florianópolis.

09082016 - DC - Visor - Merenda escolar

Fazenda e Educação analisam resultado da auditoria interna na merenda escolar

A Diretoria de Auditoria Geral (Diag), vinculada à Secretaria de Estado da Fazenda, apresentou ao secretário da Educação, Eduardo Deschamps, o relatório da inspeção na alimentação escolar realizada em 49 unidades de ensino da Grande Florianópolis, sendo 47 com contrato terceirizado e duas de autogestão. A apresentação foi realizada pelo diretor da Diag, Augusto Piazza, pelo gerente de Auditoria de Despesas e Custeios, Cícero Alessandro Teixeira Barbosa, e pelo gerente de Auditoria de Licitações e Contratos, Clóvis Renato Squio. O trabalho é resultado da ação dos Auditores Internos do Poder Executivo que, em abril deste ano, iniciaram as atividades do projeto Auditoria Cidadã.

Um dos objetivos da auditoria era avaliar o grau de satisfação dos alunos. Mais da metade dos estudantes que responderam a pesquisa aplicada pelos auditores internos, ou seja, 56% disseram que adoram ou gostam da alimentação. Outros 32% falaram que são indiferentes e 18% não gostam ou detestam a comida oferecida na escola. “Toda auditoria é bem-vinda porque nos ajuda a aprimorar os serviços. Estamos falando de alimentação escolar, fundamental para garantir a saúde e a aprendizagem de nossos alunos”, observou Deschamps.

Por outro lado, a inspeção mostrou que o índice de adesão dos alunos à alimentação é baixo em mais da metade das escolas (51%), de acordo com o Padrão do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A adesão muitas vezes está relacionada com o cardápio nutritivo oferecido pelas escolas, o que exige a mudança de hábitos alimentares dos alunos. Para ampliar a adesão, a Secretaria trabalha o Programa Educação Alimentar e Nutricional com alunos e professores. “A alimentação escolar no Estado de Santa Catarina é planejada visando o atendimento pleno das necessidades nutricionais dos estudantes durante o período de permanência na escola. Todos os cardápios oferecidos são calculados e determinados de forma a possibilitar autonomia dos alunos, respeitando as escolhas e perspectivas individuais de alimentação”, explica o diretor de Articulação com os Municípios, Osmar Matiola.

Os cardápios são elaborados por nutricionistas e têm como foco atender todos os alunos. Para isso, são oferecidos cardápios diferenciados, como para as diferentes etnias indígenas e aos alunos com restrições alimentares: celíacos, diabéticos e intolerantes a lactose.

O documento elaborado pelos Auditores Internos  revela ainda que em 86% das escolas o controle da contagem das refeições é feito por fichas entregues aos alunos. Para melhorar este controle, a Secretaria está automatizando gradativamente o processo de contagem, por meio da carteira do estudante com query code. Com o uso de tablet e sistema específico é realizada a leitura automática dos dados do estudante e contabilizada a refeição. Agora, o  relatório será analisado pela Gerência de Alimentação Escolas da Secretaria da Educação. “Após análise vamos colocar em prática as sugestões apresentadas pelos auditores internos. Muitas coisas já estavam no nosso escopo de trabalho”, explica Matiola. A SED também realiza acompanhamento periódico em todas as 1.080 escolas da rede pública estadual de Santa Catarina.

A inspeção da alimentação escolar faz parte do projeto Auditoria Cidadã, que prevê operações para verificar a qualidade de serviços e obras do governo do Estado, tais como: alimentação escolar, exames em hospitais, serviços de atendimento ao público (IGP, DETRAN, SINE, PM), obras feitas com recursos de transferências voluntárias aos municípios e entidades. O objetivo é aferir se a administração pública estadual vem prestando serviços de forma satisfatória e verificar como o serviço está chegando para o cidadão catarinense.

IMG_0012_0
Foto: Fazenda/Divulgação

Com informações da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Fazenda