Auditoria Interna e Junta Comercial iniciam gestão de riscos no Executivo catarinense

A Secretaria de Estado da Fazenda e a Junta Comercial do Estado assinaram uma portaria conjunta na última terça-feira (16) para iniciar o gerenciamento de riscos na JUCESC com um grupo de trabalho da Diretoria de Auditoria Geral do Estado (DIAG). O documento foi assinado pelo secretário da Fazenda, Renato Lacerda, pelo presidente da Junta Comercial, Julio Marcellino Jr e pelo auditor geral do Estado, Augusto Piazza.

O projeto na Junta será o primeiro a ser formalizado, e passará pelas etapas de avaliação do ambiente de controle, eleição de processo para identificação e avaliação de eventos de risco, resposta aos riscos selecionados e definição de procedimentos de controle. A previsão é de que o trabalho esteja concluído até o final de março.

WhatsApp Image 2018-01-17 at 16.57.22
Piazza (centro) acredita que a Gestão de Riscos é um componente importante do Controle Interno da Administração pública 

O secretário da Fazenda acredita que o gerenciamento de riscos é um instrumento importante para o fortalecimento das estruturas de governança. “A gestão eficaz de riscos acaba resultando em melhoria na qualidade dos serviços prestados, que é a finalidade principal da administração pública”, defende Lacerda.

O presidente da JUCESC ofereceu total acesso do grupo de trabalho às informações gerenciais da instituição. “Temos muito a ganhar com a participação nesse projeto e estamos abertos à incorporação das boas práticas associadas a ações preventivas”, disse o presidente Marcellino.

WhatsApp Image 2018-01-17 at 16.57.40.jpeg
A equipe de auditores internos do Poder Executivo, o secretário da Fazenda, Renato Lacerda, o presidente da Junta Comercial, Julio Marcellino Jr e pelo auditor geral do Estado, Augusto Piazza

“Sabemos que os riscos existem e podem ser de diversas naturezas. Estar preparado para eles é uma forma inteligente de gestão. Controle interno também é isso”, conclui o auditor geral, Augusto Piazza.

O grupo de trabalho será coordenado pelo auditor interno Cícero Alessandro Teixeira Barbosa e composto pelas auditoras internas Alessandra Barcellos Barros, Fabiana Ribeiro Borges e Josane Mara Maciel. “O alcance dos objetivos é cercado por incertezas que podem se tornar ameaças”, diz o coordenador Cícero Barbosa. Ele explica que além de identificar os riscos, é fundamental que se identifique suas causas. “Cabe ao gestor trazer para si a responsabilidade e envolver as equipes para que a gestão de riscos realmente aconteça”, completou.

Com informações da ASCOM/SEF

Anúncios

Equipe da Fazenda esclarece dúvidas sobre prestação de contas da SOL

Uma equipe da Gerência de Auditoria de Recursos Antecipados (Geran) da Secretaria de Estado da Fazenda fez mais uma visita técnica à equipe da Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL). Desta vez, na pauta, dúvidas recorrentes quanto prestação de contas de recursos repassados pela instituição e aspectos relativos à Lei Federal 13.019/14, conhecida como “marco regulatório do 3º setor”.

Continuar lendo Equipe da Fazenda esclarece dúvidas sobre prestação de contas da SOL

Seminário discute novas estratégias para a administração pública

O Seminário Auditoria, Controle Interno e Gestão de Riscos teve início na tarde desta quinta-feira (31) e reuniu cerca de 165 pessoas no auditório do Square Corporate, em Florianópolis. O evento foi organizado pelo Sindiauditoria, com apoio da Secretaria do Estado da Fazenda, para reunir especialistas de todo o Estado para debater estratégias e fortalecer a atuação dos profissionais no Poder Executivo catarinense. O governador Raimundo Colombo, também esteve presente e assinou um acordo de cooperação técnica entre o Governo de Santa Catarina e a Controladoria-Geral do Distrito Federal, para o intercâmbio de experiências, informações e tecnologias.

No início do evento, Colombo ressaltou a importância do esforço dos auditores que auxiliam o governo a tomar grandes decisões e do auxílio proporcionado pelo envolvimento destes em programas e ações internas. “Não existe sociedade justa sem um estado forte e qualificado”, afirmou o governador. De acordo com ele, o seminário de hoje é a prova de que os servidores e auditores interno estão no caminho certo para combater os problemas vividos atualmente no Estado.

Colombo enalteceu ainda o trabalho da equipe de auditores da Fazenda nas decisões que ajudaram o Estado no enfrentamento da crise. “Eu reconheço na equipe da fazenda e da auditoria uma equipe responsável, profissional, dedicada e que ajudou a gente a tomar decisões importantes em favor do nosso Estado. Nesse momento que, vocês auditores, junto com o ministério público que traz orientações, informações, se unem em uma visão de estado, se estabeleça regras de transparência, qualidade na gestão, resultado na sociedade”, concluiu o governador.

Programação

O encontro contou com a participação de palestrantes atuantes em diversas áreas de alcance nacional para discutir assuntos como Controle Interno, integridade no setor público e estratégias de gestão. Na abertura, o promotor de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina e coordenador do Centro de Apoio Operacional da Moralidade Administrativa, Samuel Dal-Farra Naspolini, apresentou dados do programa Unindo Forças, do Ministério Público e também ressaltou a importância da troca de informações e experiências entre os servidores.

Henrique Moraes Ziller, Controlador-Geral do Distrito Federal, também palestrante, apontou problemas a serem encarados e ressaltou a importância do estudo do caminho dos problemas, desde a criação até os fatores que o deixaram continuar existindo e influenciando o cenário politico atual. Na sequência, os participantes participaram de um café, onde os palestrantes tiveram a oportunidade de conversar com os presentes e dar mais detalhes sobre as informações trazidas para o evento.

Após o momento de integração, ocorreu a palestra “Programa de Integridade no Setor Público”. Rodrigo Fontenelle, Chefe da Assessoria Especial de Controle Interno e responsável pela implantação de Gestão de Riscos do Ministério do Planejamento, apresentou os dados adquiridos nas pesquisas pelo Comite de Gestão Estratégicas, além de demonstrar as responsabilidades de cada setor. Entre os números do projeto estão dados como o número de reuniões técnicas de gerenciamento de riscos e o mapeamento de processos no primeiro semestre. “Nós temos que ser parte da solução, ou seremos parte do problema” ressaltou o palestrante. De acordo com ele, a comunicação é essencial para encontrar formas mais efetivas de vencer o cenário fiscal ruim do País.

A última palestrante do dia foi Liane Vasconcelos de Araújo Angoti, chefe da Assessoria de Harmonização Central da Controladoria-Geral do Distrito Federal. Durante sua fala, ela abordou os avanços e resultados na implementação do Modelo de Capacidade da Auditoria Interna e também apresentou informações sobre programas realizados com o objetivo de apresentar novas estratégias de atuação para os servidores.

Avaliação 

O presidente do Sindiauditoria, Clóvis Squio,  comemorou a participação dos palestrantes do Distrito Federal, que promoveram de cooperação com os participantes: “A participação de todos trouxe boas práticas e referências de especialistas e isso garante novas estratégias baseadas em programas de sucesso”.

O diretor de auditoria Augusto Puhl Piazza destacou a importância do setor para o Estado afirmando que a auditoria além de fazer uma inspeção ou apontar uma irregularidade de inconformidade é um órgão de auxílio na tomada de decisão para o gestor. “Isso nada mais é do que um preventivo para que não aconteça o erro. É muito mais caro quando o erro acontece. É como a medicina preventiva que não deixa ficar doente, porque a partir do momento que fica doente tem um custo maior”. “Nos reunimos para que a gente possa disseminar as boas práticas em outros estados e mesmo na federação, para que a cada vez mais, qualificamos o nosso controle interno e nós mesmo da auditoria, com as boas práticas que eles vem exercendo”, concluiu Piazza.

Acordo de cooperação 

O documento assinado entre a CGDF e a SEF visa estabelecer uma parceria para implementar ações conjunta que assegurem a realização de intercâmbio de conhecimentos técnicos, experiências, informações e tecnologias de interesse mútuo. Neste sentido, Piazza valoriza o  compartilhamento dos trabalhos e aprimoramentos de técnicas. “A assinatura do acordo cooperativo vai nos garantir uma excelente oportunidade de absorver experiências e crescer”, projeta.

Sequência

O evento segue nesta sexta-feira (1) com uma programação restrita para auditores e controladores internos. Na oportunidade, Fontenelle abordará a implementação da gestão de riscos no setor público, utilizando o caso prático do Programa de Integridade e Gestão de Riscos do Ministério do Planejamento. As inscrições para este segundo dia estão encerradas.

 

Texto e fotos: Tiago Menezes/Sindiauditoria com informações da SEF/SC