“Se o Estado decidir destinar 14% para a saúde, terá que reduzir em outras áreas”, diz secretário na coluna da jornalista Estela Benetti

Impresso

Anúncios

Auditoria Interna e Junta Comercial iniciam gestão de riscos no Executivo catarinense

A Secretaria de Estado da Fazenda e a Junta Comercial do Estado assinaram uma portaria conjunta na última terça-feira (16) para iniciar o gerenciamento de riscos na JUCESC com um grupo de trabalho da Diretoria de Auditoria Geral do Estado (DIAG). O documento foi assinado pelo secretário da Fazenda, Renato Lacerda, pelo presidente da Junta Comercial, Julio Marcellino Jr e pelo auditor geral do Estado, Augusto Piazza.

O projeto na Junta será o primeiro a ser formalizado, e passará pelas etapas de avaliação do ambiente de controle, eleição de processo para identificação e avaliação de eventos de risco, resposta aos riscos selecionados e definição de procedimentos de controle. A previsão é de que o trabalho esteja concluído até o final de março.

WhatsApp Image 2018-01-17 at 16.57.22
Piazza (centro) acredita que a Gestão de Riscos é um componente importante do Controle Interno da Administração pública 

O secretário da Fazenda acredita que o gerenciamento de riscos é um instrumento importante para o fortalecimento das estruturas de governança. “A gestão eficaz de riscos acaba resultando em melhoria na qualidade dos serviços prestados, que é a finalidade principal da administração pública”, defende Lacerda.

O presidente da JUCESC ofereceu total acesso do grupo de trabalho às informações gerenciais da instituição. “Temos muito a ganhar com a participação nesse projeto e estamos abertos à incorporação das boas práticas associadas a ações preventivas”, disse o presidente Marcellino.

WhatsApp Image 2018-01-17 at 16.57.40.jpeg
A equipe de auditores internos do Poder Executivo, o secretário da Fazenda, Renato Lacerda, o presidente da Junta Comercial, Julio Marcellino Jr e pelo auditor geral do Estado, Augusto Piazza

“Sabemos que os riscos existem e podem ser de diversas naturezas. Estar preparado para eles é uma forma inteligente de gestão. Controle interno também é isso”, conclui o auditor geral, Augusto Piazza.

O grupo de trabalho será coordenado pelo auditor interno Cícero Alessandro Teixeira Barbosa e composto pelas auditoras internas Alessandra Barcellos Barros, Fabiana Ribeiro Borges e Josane Mara Maciel. “O alcance dos objetivos é cercado por incertezas que podem se tornar ameaças”, diz o coordenador Cícero Barbosa. Ele explica que além de identificar os riscos, é fundamental que se identifique suas causas. “Cabe ao gestor trazer para si a responsabilidade e envolver as equipes para que a gestão de riscos realmente aconteça”, completou.

Com informações da ASCOM/SEF

Auditores Internos recebem identificação oficial para atuar com mais autonomia

Uma cerimônia privada, na tarde da última sexta-feira (8), marcou a entrega das carteiras de Auditores Internos do Poder Executivo aos servidores que ocupam este cargo na Diretoria de Auditoria Geral (DIAG). O ato contou com a presença do secretário de Estado da Fazenda, Renato Lacerda. «Precisamos fortalecer a auditoria interna para termos uma gestão pública focada na eficiência dos gastos », destaca ele.

Para o diretor de Auditoria Geral, Augusto Piazza, além de toda questão simbólica, as carteiras representam uma questão prática. «Os documentos serão utilizados nas inspeções e visitas externas que os auditores internos realizam», explica, ao recordar que faz parte da atuação desses profissionais visitar os órgãos e as instituições do Governo do Estado, assim que alguns órgãos externos.

Neste sentido, o presidente do Sindiauditoria, Clóvis Squio, recorda que no exercício da função de auditor interno, muitas vezes, é preciso solicitar documentos oficiais. « A lei prevê, no entanto, que para isto, é preciso confirmar a entidade funcional. A carteira facilitará bastante este processo a partir de agora », completa

IMG_0111
A identificação permitirá mais autonomia para o trabalho realizado pela equipe de auditores internos da DIAG (Foto: Cléia Schmitz/SEF)

O cargo de Auditor Interno

Esses servidores, aprovados por concurso público, possuem uma formação superior nas áreas de Administração, Contabilidade, Direito ou Economia. Juntos eles formam uma equipe multidisciplinar, capacitada para orientar sobre como utilizar os mecanismos de controle interno para efetivar as políticas públicas tão importantes para o desenvolvimento econômico e social dos catarinenses.

São diversos projetos e atividades coordenados pelos auditores internos que, dentro das estruturas do Governo do Estado, procuram antecipar as irregularidades para evitar um estrago maior nos cofres públicos. Para citar um número, entre desembolsos evitados e créditos à ressarcir, a equipe da DIAG da Secretaria de Estado da Fazenda gerou, só em 2016, uma economia direta de mais de R$ 18 milhões. Valor que pode ser realocado em áreas importantes como saúde, educação, segurança e infraestrutura.

IMG_0006
O diretor de Auditora Interna, Augusto Piazza, e o secretário da Fazenda, Renato Lacerda, fizeram a entrega nominal aos servidores (Foto: Cléia Schmitz/SEF)

Entrega solene

Piazza, Squio e a assessora da DIAG Marisa Zikan receberam as carteiras funcionais no dia 24 de novembro, das mãos do governador Raimundo Colombo. O ato marcou as comemorações alusivas ao Dia do Auditor Interno e foi realizado na sequência da palestra do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, na FIESC.

37903041164_f36264820b_z
O presidente do Sindiauditoria, Clóvis Squio, a auditora interna Marisa Zikan e o diretor da DIAG, Augusto Piazza, receberam o documento das mãos do governador Raimundo Colombo (Foto: Fiesc/Divulgação)