Campanha global de auditoria incentiva a conquista de certificações profissionais

Maio é o mês global da auditoria interna. A campanha ‘IIA May’ abrange 170 países e cerca de 190 mil associados ao The IIA – The Institute of Internal Auditors, a principal entidade da carreira no planeta. O foco é mostrar a empresas e governos a importância de investir nesses profissionais a fim de elevar os níveis de governança, gestão e ética em todas as organizações. Áreas de auditoria interna fortalecidas são consideradas cruciais para o equilíbrio e crescimento sustentável da economia global.

Por aqui, o Instituto dos Auditores Internos do Brasil (IIA Brasil), aderiu a campanha global e lançou uma promoção que isenta a taxa de habilitação para a conquista do CIA – Certified Internal Auditor, respeitada pelo mercado como a principal certificação profissional – quase como a OAB para advogados. Para obtê-la o auditor precisa passar por diversas avaliações técnicas e de cunho ético. Devido sua complexidade, o tempo médio de aquisição é de dois anos. Atualmente, é raro uma grande corporação contratar um auditor interno sem o CIA.

people-3370833_1920
Durante o IIA May, o Instituto dos Auditores Internos do Brasil lança campanha que isenta a inscrição para a obtenção do CIA – Certified Internal Auditor

Segundo Fabio Pimpão, diretor de Normas e Certificações do IIA Brasil, o IIA May tem a missão de despertar a atenção do mercado para a importância de valorizar a profissão para que empresas possam atuar em ambientes corporativos mais justos e, consequentemente, tornarem-se mais competitivas. “É inegável a necessidade de o Brasil contar com mais auditores qualificados, em empresas públicas e privadas, nesse momento crítico de combate a fraudes corporativas. É uma profissão que se tornou estratégica, e exige preparo de nível global para enfrentar os constantes desafios do mercado”, explica Pimpão.

Além da isenção na taxa de habilitação do CIA, o The IIA também lançou o Building Awareness Champion. Trata-se de uma premiação que reconhecerá as empresas engajadas na missão de promover mais conhecimento sobre a atividade de auditoria interna. Até o final desse mês, o IIA Brasil concede desconto nos treinamentos preparatórios (CIA1 e CIA 2), nos materiais didáticos (CIA 1, CIA 2 e CIA 3) e no Gleim Online da certificação. Mais informações sobre o IIA May em iiabrasil.org.br

Anúncios

DIAG coordena projeto de gestão de riscos no IMETRO/SC

Desde do dia 13 de março, uma equipe de auditores internos do Poder Executivo deu início às atividades de implantação de gestão de risco no IMETRO/SC. O projeto passa pelas etapas de avaliação do ambiente de controle, eleição de processo para identificação e avaliação de eventos de risco, resposta aos riscos selecionados e definição de procedimentos de controle.

A equipe de auditores internos é coordenada pelo auditor interno Cícero Alessandro Teixeira Barbosa e é composta pelos auditores internos Fabiana Borges (subcoordenadora), Rafael Palmares, Inês Marina e André Rezende. A previsão é de que o trabalho seja concluído até o final de junho.

O blog do Sindiauditoria conversou com a responsável pelo Controle Interno da instituição, Juliana Fernandes, para saber os benefícios do projeto. Leia a entrevista na intégra. 

WhatsApp Image 2018-05-08 at 17.27.56
Reunião de trabalho com o auditor interno Rafael Palmares, a servidora Juliana Fernandes, o presidente do IMETRO/SC, João Carlos Ecker (centro), e as auditores internas Inês Marina Souza e Fabiana Borges

Qual o principal benefício do trabalho realizado pela DIAG?

O principal benefício deste trabalho é melhorar nossa casa, e ter a oportunidade de mensurar o tamanho que somos. Diria que são muitos os benefícios, e vem sempre aquela pergunta: Por que não fizemos antes?

Como você avalia a condução do processo?

No início eu diria que as pessoas estavam desestimuladas, mas com o passar do tempo e com as dinâmicas, os trabalhos foram ganhando volume. E o que é muito interessante, os participantes se sentem motivados por estarem se sentindo incluídos e ouvidos.

Quais as expectativas do IMETRO/SC com o trabalho? Existe um planejamento de continuidade para o futuro?

As expectativas, como diriam os participantes, são “não podemos voltar atrás” e “temos que começar os trabalhos o quanto antes”. E daremos continuidade principalmente por meio do Núcleo de Controle Interno que coordenará todos os trabalhos propostos nas ações de controle que foram sugeridos no mapa de risco. Outro destaque importante todos os gestores tanto da área técnica, como administrativa, estão empenhados em colaborar para a continuidade deste trabalho.

Como surgiu essa ideia de fazer uma parceria com a DIAG?

O IMETRO/SC pôde participar do Curso de Gestão de Riscos ministrado pelo Rodrigo Fontenelle de Araújo Miranda no ano passado organizado pela DIAG e pelo Sindiauditoria, e acredito que surgiu uma parceria naquele momento. Posteriormente a DIAG entrou em contato e questionou sobre uma possível parceria. E como responsável do controle interno fiquei surpresa e muito feliz com a possibilidade de iniciar um trabalho tão grandioso aqui. De imediato conversei com o Presidente, João Carlos Ecker, que colocou o IMETRO/SC à disposição para darmos início às atividades. E o mais importante, ele acredita nesta ação. E sabe da importância de ferramentas de gestão.

Você acredita que esse trabalho deve ser feito em outras instituições?

Muito. Pois este trabalho contribui para a melhorar gestão, e qualquer instituição necessita desta ferramenta para poder otimizar seus recursos, sejam eles humanos, financeiros ou materiais. Acredito também que este trabalho contribui e muito para o desenvolvimento das atividades dos Núcleos de Controle Internos.

Auditoria de olho na Inteligência Artificial

Uma mescla de hardware e software com a pretensão de agir como um cérebro humano. A chamada Inteligência Artificial (IA), tem conquistado cada vez mais espaço em organizações corporativas em todo o mundo, gerando benefícios significativos, mas também, enormes desafios. O alerta de atenção sobre essa polêmica ferramenta, passou a ser sinalizado pelo The Institute of Internal Auditors (The IIA) – o maior organismo de auditoria no mundo – que decidiu produzir uma cartilha didática sobre o papel desses profissionais diante da Inteligência Artificial.

O documento foi traduzido pelo IIA Brasil – Instituto dos Auditores Internos do Brasil – com a autorização para divulgar a seus associados. O objetivo central é esclarecer quais as posturas mais íntegras e efetivas que profissionais devem tomar, a fim de lidar com um sistema concebido para encontrar probabilidades, mas que, se desenhado de maneira equivocada, pode causar injustiças aos colaboradores e até danos significativos à corporação.

A cartilha chamada “Tone at the top” – propõe entender o que define a IA, abordando sobre sua construção, aplicação, gestão e controle. O documento ressalta que esses sistemas são criados por humanos, portanto, são parciais, críticos e injustos. Cabe aos gestores recorrerem à auditoriainterna para conduzir testes que determinem se os resultados produzidos pela IA refletem o objetivo original e se não foram distorcidos pelas parcialidades dos criadores da tecnologia.

Além disso, a cartilha afirma que os auditores também precisam estar responsáveis por testes de confiança, precisão, repetibilidade e integralidade, bem como pela mensuração de desempenho da IA. Eles necessitam alertar os gestores, o conselho de administração e as partes interessadas, que há possíveis riscos de equívocos, quanto a lógica humana, incorporados à tecnologia de IA. Somente assim, será possível alcançar uma conclusão clara do valor real que ela trará à empresa, seja ela pública ou privada.

De acordo com Fabio Pimpão, diretor do IIA Brasil, as premissas apresentadas pelo instituto global confirmam que a Inteligência Artificial será um divisor de águas crucial na carreira do auditor interno. “É um alerta de que temos que olhar para o futuro. As corporações precisam investir em auditoria, dando-lhes autonomia para que elas façam uma completa imersão de avaliação da IA implantada. Por outro lado, se o auditor não estiver preparado para esses audaciosos desafios, com postura proativa e vasto conhecimento, ele dificilmente encontrará portas abertas nesse novo mundo corporativo que se desenha”, prevê.

binary-1979478_1920
Mais informações sobre o “Tone at the Top”, acesse o site do IIA-Brasil: www.iiabrasil.org.br