ENA e DIAG capacitam servidores sobre Gestão de Riscos

Servidores estaduais, que atuam nas áreas de controle interno e auditoria, participaram nos dias 17 e 18 de julho, em Florianópolis, de uma capacitação sobre Gestão de Riscos. O evento é resultado da parceria entre a ENA (École Nationale d’Administrarion) e a DIAG (Diretoria de Auditoria Geral) e faz parte do 13° Programa de Capacitação de Servidores e Funcionários Públicos.

Na oportunidade, os auditores internos apresentaram o case da implantação da cultura de Gestão de Riscos no IMETRO e a responsável pelo Controle Interno da instituição, Juliana Fernandes, falou sobre os benefícios do projeto. Desde do início deste ano, a equipe da Auditoria Geral e os servidores do IMETRO trabalham nas seguintes etapas: avaliação do ambiente de controle, eleição de processo para identificação e avaliação de eventos de risco, resposta aos riscos selecionados e definição de procedimentos de controle.

WhatsApp Image 2018-07-18 at 23.44.49
O auditor interno do Podeer Executivo Cicero Teixeira Barbosa palestrou sobre o procedimento de tomada de contas especial

Dentro da Secretaria de Estado da Fazenda, a DIAG é responsável pelo planejamento e implementação das atividades de fortalecimento do controle interno no Poder Executivo. Por isso, a Diretoria segue com o objetivo de ampliar o projeto para outras secretarias, autarquias e fundações da administração direta e indireta do Governo do Estado.

O que é Gestão de Riscos?

De acordo com o manual do Ministério do Planejamento, a gestão de riscos ou gerenciamento de riscos é um processo conduzido em uma organização, aplicado no estabelecimento de estratégias, que visa identificar, avaliar, administrar e controlar potenciais eventos ou situações capazes de afetar a realização de seus objetivos. Uma das funções da gestão de riscos é assegurar a concretização dos objetivos da organização e evitar os perigos e surpresas no cumprimento de suas missões institucionais.

WhatsApp Image 2018-07-18 at 23.44.51 (2)
A responsável pelo Controle Interno do IMETRO, Juliana Fernandes, falou sobre a experiência da instituição com a Gestão de Riscos 

Anúncios

Prêmio Udesc Esag recebe inscrições até dia 30 de abril

Inscrições para o Prêmio Udesc Esag de Boas Práticas em Gestão Pública encerram na próxima segunda-feira (30). O tema desta edição é “Transparência com Cidadania” e os organizadores buscam iniciativas inovadoras, que consolidam avanços na realização do interesse público. Podem concorrer ao prêmio práticas desenvolvidas em órgãos públicos (da administração direta ou indireta) e organizações da sociedade civil em Santa Catarina. Empresas e profissionais autônomos podem inscrever práticas, desde que executadas em órgãos públicos, organizações da sociedade civil ou na interação entre ambos. Órgãos públicos, empresas e organizações da sociedade civil sediadas em outros estados poderão participar, desde que as práticas inscritas sejam aplicadas em Santa Catarina.

O projeto vencedor ganhará uma viagem técnica para visitar instituições públicas francesas e o segundo lugar uma inscrição em um evento nacional da área. Todas as práticas classificadas como “Boas Práticas” receberão certificado de reconhecimento.Cinco categorias são aceitas: Municipal (Executivo e Legislativo municipal, da administração direta ou indireta);  Estadual (Executivo, Legislativo e Judiciário estadual, da administração direta ou indireta); Federal (Executivo, Legislativo e Judiciário federal, da administração direta ou indireta); Organizações da Sociedade Civil (Organizações de direito privado e fins públicos); e Empresas (Empresas privadas e profissionais autônomos).

Instituída em 2015 e com periodicidade bianual, a iniciativa é do Departamento de Administração Pública do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), realizada com o apoio de diversos parceiros. Para conhecer as modalidades e ter mais informações sobre esta segunda edição, acesse a página do prêmio: http://www.esag.udesc.br/premio.

flyer_premio2018

Cronograma
Período de Inscrição: 01/03/2018 a 30/04/2018
Divulgação das práticas pré-qualificadas e elegíveis: 15/05/2018
Recurso quanto a elegibilidade: 18 a 22/05/2018
Divulgação das práticas classificadas como “Boas Práticas” e dos finalistas: 30/06/2018
Evento de Premiação: 07, 08 e 09/08/2018

“O Observatório de Despesa Pública trará melhorias para a gestão do nosso município”

Até o agora, cinco municípios catarinenses aderiram ao Observatório da Despesa Pública e estão trabalhando para implantar o ODP.municipal nas estruturas de controle interno nas suas respectivas prefeituras. A ferramenta, considerada como a malha fina dos gastos públicos, vai ajudar os gestores a identificar as irregularidades e fazer um levantamento das ações que podem melhorar os processos administrativos da cidade. Como resultado, os atos públicos se tornarão mais transparentes, ágeis e efetivos para a população. “Nossa motivação principal é a criação de mecanismos que visem coibir situações ilegais e proporcionar ferramentas de gestão para melhorar ainda mais nossas ações de governo”, explica o coordenador ODP.Chapecó, Igor Antonio Girotto. 

Segundo ele, a decisão de participar do projeto foi tomada pelo prefeito Luciano Buligon e pela secretária de Governo, Fernanda Danielli, logo no inicio das atividades. “Assim como outros 12 municípios, recebemos o convite da Secretaria de Estado da Fazenda para uma reunião de apresentação do Observatório da Despesa Pública. Nosso município participou da reunião prévia em Florianópolis em junho e, em seguida foi o segundo a assinar o acordo de cooperação técnica, em julho”, recorda. Além de Chapecó, as cidades de Rio do Sul, Gaspar, Camboriú e Itajaí também participam do projeto. 

Após um período de organização interna, uma primeira capacitação reuniu todos os responsáveis municipais para três dias de treinamento, no final do ano passado. O evento foi coordenado pelo ODP.Santa Catarina, estrutura estadual que trabalha para monitorar os gastos públicos do Poder Executivo desde 2012, sendo vinculada à Diretoria de Auditoria Geral (DIAG). “A capacitação foi fundamental para ampliar os horizontes da equipe do ODP.Chapecó e mostrar o potencial do trabalho que pode ser desenvolvido. Desde então, estamos muito motivados para as próximas etapas do projeto”, garante Girotto. 

A expansão municipal do ODP prevê um ciclo que inclui seis etapas. As cinco primeiras já foram realizadas: convite, seminários para conhecimento do funcionamento do Observatório, assinatura do acordo de cooperação técnica, certificação do atendimento mínimo de infraestrutura e a capacitação. Para finalizar, o próximo compromisso da rede será a execução do Estudo de Compras municipais, com início agora em janeiro e previsão de finalizar os trabalhos até maio.

Nesta fase, as unidades municipais, com assistência técnica do ODP.Santa Catarina, definirão hipóteses para análise do tema Compras que serão testadas através do cruzamento de diversas bases de dados (municipais, estaduais e federais). Os resultados serão agregados gerando indicadores gerenciais e através de técnicas de análise e mineração de dados serão identificados padrões e desvios que indiquem possíveis irregularidades relacionadas ao tema estudado.

“Dessa forma, poderemos identificar uma empresa vencedora de licitação com sócio em comum com outra empresa no mesmo processo licitatório ou mesmo identificar fornecedores do município que possuem em seu quadro societário servidores municipais. Estes são alguns exemplos de hipóteses que serão testadas no estudo de compras através das trilhas executadas em diversas bases de dados”, explica o coordenador do ODP.Santa Catarina, o auditor interno do Poder Executivo André Oliveira.

2 - DSC03484
O coordenador ODP.Chapecó, Igor Antonio Girotto, garante a motivação da equipe com a instalação da unidade na prefeitura

Objetivo

O Observatório é responsável pela produção de informações estratégicas que visam apoiar e acelerar a tomada de decisão dos gestores e o monitoramento das despesa pública através de estudos temáticos. O objetivo geral é contribuir para o aperfeiçoamento do controle interno.

Trabalho em rede

A rede ODP atua em âmbito nacional e é composta por 60 entes, incluindo o ODP.CGU, ODP.Estadual, ODP.Municipal e ODP.TC, que agrega os tribunais de contas municipais e estaduais, com a finalidade de intercambiar metodologias, informações e tecnologias, de forma a incrementar as ações dos entes federativos no aprimoramento da gestão, na prevenção de desvios e no monitoramento das despesas públicas. Os participantes da rede ODP ao final de 2017 aprovaram o planejamento estratégico da rede ODP para o período de 2018/2022, que inclui a criação de um portal para hospedagem e análise de dados, definição dos temas de estudos, forma de divulgação dos resultados, capacitação entre outras ações para aprimoramento dos trabalhos em parceria.

Ponto de vista

igor-chapeco“O ODP.municipal além de uma ação de auditoria interna é também uma ferramenta que tem como objetivo ajudar o gestor municipal. Este auxílio, embasado em estudos que serão realizados e em dados técnicos de cada área de atuação da prefeitura, seguramente, trará melhorias para a gestão do nosso município, possibilitando ao gestor uma tomada de decisão mais segura”, coordenador ODP.Chapecó, Igor Antonio Girotto

andre-pinheiro“Os participantes têm mostrado muito interesse em cumprir bem com as etapas de implantação, entendendo que a participação na rede ODP trará muitos benefícios ao município. Creio que a médio prazo, havendo empenho dos participantes, eles estarão em outro patamar na execução de suas atividades de controle e apoio à gestão”, coordenador do ODP.Santa Catarina, o auditor interno do Poder Executivo André Oliveira