Congresso Consad completa dez anos com uma vasta programação

Os participantes do X Congresso Consad de Gestão Pública podem esperar por uma edição com muito conteúdo e novidades. A troca de experiências começou hoje (5) e vai até o dia 7 de julho, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, e promete reunir o mais variado público, desde estudantes e servidores públicos até especialistas em Gestão Pública. De Santa Catarina, participam desta edição histórica de 10 anos, os auditores internos do Poder Executivo André Luiz Rotelli, Tatiana Bozza, Clarice Ehara e Clóvis Coelho Machado.

Por ser um ano comemorativo, a programação foi pensada no atual cenário econômico e político do País, mas também na trajetória e nos resultados obtidos pelo evento, que hoje representa o maior congresso de gestão pública do Brasil. Com o tema “Gestão dos serviços públicos: o protagonismo cidadão e caminhos para a inovação governamental”, a conferência de abertura será apresentada pelo especialista em Modernização do Estado no BID, Pedro Farias.

O especialista apresentará o livro Governos que Servem, que apresenta lições a partir de casos estudados e analisa as dimensões como as novas tecnologias de informação e comunicações, a coordenação governamental, os marcos regulatórios e os modelos de gestão. Com base nestes estudos, são identificados três importantes vetores da inovação em serviços: integração, simplificação e gerenciamento. Devido ao sucesso, a publicação, que foi lançada em espanhol, ganhou também a versão em português.

E pensar em quanto custam os trâmites públicos para a sociedade? Um estudo, cujo projeto piloto foi testado em quatro estados mais o Distrito Federal, foi realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Governo Federal. O levantamento foi desenvolvido a partir das inúmeras transações feitas pelo cidadão na hora de tirar um Registro Geral, Carteira de Trabalho e como isso pode interferir nos custos e nos cofres públicos.

Durante os três dias, uma sessão plenária irá apresentar o balanço de 10 anos de história. A participação e controle social na gestão pública e as lições compartilhadas no âmbito do congresso.

WhatsApp Image 2017-07-05 at 19.19.17
Os auditores internos do Poder Executivo André Luiz Rotelli, Tatiana Bozza, Clarice Ehara e Clóvis Coelho Machado participam da abertura nesta quarta-feira

Trabalhos Científicos

Os painéis também contam com uma vasta programação. Com a missão de agregar conhecimento, os trabalhos científicos que serão apresentados durante os painéis demonstram o estágio de amadurecimento da administração pública brasileira. Os estudos vão desde aplicações de tecnologia para a transformação da gestão dos transportes na Administração Pública até as novas propostas para inserir a criatividade no governo eletrônico.

Este ano, o Consad recebeu mais de 400 inscrições de propostas de trabalhos científicos para o congresso. Desse total, 147 foram selecionados pelo Comitê Científico para integrar a programação do evento.

Acesse aqui a programação.

Santa Catarina participa de mais uma edição do Conbrai

Começou no último domingo (25), em São Paulo, a 37ª Edição do Congresso Brasileiro de Auditoria Interna (Conbrai). O evento reúne especialistas de todo País para discutir sobre o complexo desafio de mitigar fraudes no âmbito corporativo e governamental. Entre os 650 participantes deste ano, representam o Estado de Santa Catarina os auditores internos do Poder Executivo Maurício Martins Arjona, Fátima Sulzbach, Cícero Teixeira Barbosa, Magali Ramlow Campelli e André Pinheiro de Oliveira.

A conferência do presidente da Fundação Latino-americana de Auditores Internos, Jorge Badillo, foi destaque na programação. Na oportunidade, ele apresentou um estudo minucioso realizado com experts internacionais que identificaram as setes teorias centrais para que se conheça, entenda e combata uma irregularidade. Uma delas é a teoria de Inteligência e Contra-inteligência, que indica a importância em obter e proteger a informação do inimigo, ou seja, aquele que estaria cometendo ou planejando uma fraude.

O Conbrai é um dos principais fóruns de debates sobre corrupção, transparência e governança. Para o diretor-presidente do IIA Brasil, Andre Marini, o evento é de extrema importância já que a carreira de auditor é considerada como fundamental na prevenção a atos ilícitos e no fortalecimento e melhoria da gestão de organizações públicas e privadas. Martini foi responsável pela cerimônia de boas vindas e recebeu o diretor do IIA Global, Doug Anderson, que falou sobre vigilância e valorização na palestra de abertura.

O evento encerra nesta quarta-feira (28). No total, serão mais de 30 painéis divididos em três trilhas principais: Práticas de Auditoria Interna; Governança, Compliance e Gestão de Risco; Tecnologia, Segurança da Informação e Finanças; e Auditoria Governamental. Sem esquecer das conferências centrais que abordarão a Lei Anticorrupção, prevenção a fraudes e auditoria de TI.

Para saber mais detalhes da programação e acompanhar o evento, acesse o site: http://www.iiabrasil.org.br.

conbrai_2016-jpg
De Santa Catarina, os auditores internos Maurício Martins Arjona, Fátima Sulzbach, Cícero Teixeira Barbosa (c), Magali Ramlow Campelli e André Pinheiro de Oliveira

 

DIAG inicia um raio x nas estruturas de controle interno da administração estadual

Para traçar um diagnóstico das estruturas de controle interno nas entidades do Poder Executivo, os auditores internos da Diretoria de Auditoria Geral (Diag) começaram um ciclo de visitas aos órgãos da administração estadual. Por meio de uma entrevista com os gestores e aplicação de um questionário, os técnicos têm como objetivo principal avaliar a eficácia das estruturas já existentes e propor melhorias.

Até o momento, a equipe já visitou a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), a Junta Comercial do Estado de Santa Catarina (Jucesc), o Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), a Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) e a Secretaria de Assuntos Internacionais (SAI).

“Espera-se um maior reconhecimento por parte dos gestores e dos próprios servidores acerca da importância das atividades que o controle interno desempenha, tanto na salvaguarda dos ativos, com o fornecimento de dados e informações precisas e confiáveis, como no auxílio à tomada de decisão”, esclarece a auditora interna Magali Campelli, que junto com as auditoras internas Alessandra Barros, Josane Maciel, Fabiana Borges, Fátima Sulzbach e Inês Souza são responsáveis pelas visitas.

De acordo com Magali a intenção é tabular todos os dados e apurar as reais necessidades das unidades de controle interno nas entidades do Poder Executivo catarinense. “Com isso poderemos levantar o perfil dos servidores designados para a função e avaliar a estrutura oferecida ao desempenho de suas atribuições”, pontua.

Por isso, a observação é indispensável para traçar o perfil dos servidores responsáveis pelo controle interno, além de avaliar a estrutura física, o planejamento e execução das atividades de controle, a efetividade e tempestividade no registro de informações nos Relatórios de Controle Interno (RCIs), a regularidade dos atos de admissão de pessoal, monitoramentos da receita e da despesa, e o controle dos bens patrimoniais. Com o mesmo objetivo das visitas “in loco”, as servidores estão preparando um material para atender à distância as Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs).

Este slideshow necessita de JavaScript.