Auditoria Geral orienta sobre a implementação do Gerenciamento de Riscos na SST

Na última semana, os auditores internos do Poder Executivo Rodrigo Stigger Dutra e Clóvis Coelho Machado estiveram na SST (Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação) para falar sobre gerenciamento de risco. O secretário Valmir Comin, juntamente com grupo de servidores, acompanhou a apresentação com o objetivo de aplicar a ferramenta na rotina administrativa do órgão através de um projeto piloto inédito na administração pública estadual.

O gerenciamento de riscos é uma ferramenta que já vêm sendo largamente utilizada pelo setor privado e mais recentemente pelo setor público e contempla as atividades de identificação, análise e decisão sobre estratégias de resposta a riscos, com vistas a implementação de controles internos que evitem ou pelo menos minimizem os efeitos quando da ocorrência de eventos que possam impactar de forma negativa nas ações desenvolvidas pelas instituições na consecução dos seus objetivos.

Para a realização do projeto piloto na SST foram selecionados três processos de trabalho da área de gestão de pessoas, sobre os quais serão aplicadas as técnicas de detecção, análise e implementação de controles, com a participação ativa dos servidores responsáveis pela execução dos referidos processos.

Também estiveram presentes na reunião os auditores internos Cícero Barbosa, Fabiana Borges e Josane Maciel, responsáveis pela orientação às unidades de controle interno de órgãos e entidades do Poder Executivo estadual.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fazenda de Santa Catarina e CGU juntas contra a corrupção

A Secretaria de Estado da Fazenda e a Controladoria Geral da União (CGU) estão coordenando um projeto inédito no país. Na última terça-feira (28) mais um encontro entre os técnicos das instituições ocorreu em Florianópolis, com objetivo de viabilizar o cruzamento de bases de informações do Governo Federal com o do Governo do Estado. Na base, está o trabalho de controle interno desenvolvido pelos auditores internos estaduais, responsáveis pela identificação das irregularidades e, também, das possíveis oportunidades para melhorar o gasto público dentro do Poder Executivo.

Esta foi a segunda reunião do grupo que, em dezembro de 2014, firmou um Acordo de Cooperação Técnica.  Para o coordenador do ODP/SC, André Pinheiro de Oliveira, a unidade da CGU é responsável por gerar informações estratégicas resultado do cruzamento de diferentes bancos de dados, a fim de subsidiar a melhor aplicação dos recursos públicos. “Nesse sentido, foi muito importante para Santa Catarina a criação do observatório estadual, sob a responsabilidade da Auditoria Geral, bem como poder compartilhar a experiência e conhecimento técnico da CGU no desenvolvimento desse trabalho conjunto”, afirma.

Oliveira entende que esta parceria é fundamental para a integração de informações relativas ao gasto público. “O projeto de expansão para os demais estados é importante para consolidar essa integração de informações qualificadas, que contribuirão para auxiliar à gestão pública, a diminuição de fraudes e o combate à corrupção”, reforça.

O diretor de Pesquisas e Informações Estratégicas (DIE), Gilson Libório de Oliveira Mendes, explica que o convênio tem algumas fases, dentro do cronograma de metas que foi estabelecido pelo grupo. “O trabalho é bastante complexo e exige atenção as particularidades do Governo do Estado, com todas as secretarias que compõem a administração catarinense. Estamos ajustando objetivos, levantando possibilidades e detalhando para ver a viabilidade das nossas hipóteses”, explica, ao sinalizar que o escopo de informações é grande e somente a análise detalhada vai apresentar os pontos de atuação.

 A previsão do grupo é que, até o final do ano, as primeiras hipóteses sejam confirmadas. Para isso, será necessário, também, utilizar as ferramentas de tecnologia para que elas possam conversar e trabalhar no mesmo sentido. As atividades continuam em Santa Catarina e no Distrito Federal concomitantemente, com encontros periódicos através de vídeos conferências. Haverá, ainda, um novo encontro presencial ao final dos trabalhos.

 Além de Oliveira e Mendes, outros profissionais participam das discussões. Representam a CGU, o chefe da CGU em Santa Catarina, Carlos Alberto Rambo, o gerente de projetos, Luciano Altoé e os analistas de finanças e controle Marcelo Campos da Silva e Alex Friedrich Seehagen; e da DIAG, integram o grupo, o gerente da GEAUD, Cícero Alessandro Teixeira Barbosa (representando Augusto Piazza, diretor da DIAG), o gerente da GEDIN, Marco Antonio Barbosa Lopes, o gerente da GAPES, Rodrigo Stigger Dutra, e o auditor interno Christian Corte Real.

Foto: Frederico da Luz / SEF
Foto: Frederico da Luz / SEF