Encerra hoje o maior evento de capacitação já realizado pelo TCE-PR sobre Controle Externo

O maior evento de capacitação de gestores e servidores públicos já realizado pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) encerra nesta quinta-feira (2). O Fórum de Controle Externo do TCE-PR reuniu, desde ontem (1), mais 1.700 participantes no Centro de Eventos da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). Durante esses dois dias, foram realizados seis painéis temáticos, que somaram 80 horas de capacitação sobre as principais áreas da administração pública.

“O evento tem um altíssimo nível técnico e uma importância fundamental para as minhas atividades diárias, tendo em vista a nossa responsabilidade de orientar os demais órgãos da administração estadual no que se refere a interpretação da lei, da jurisprudência e da doutrina na condução dos atos de gestão”, avaliou a auditora interna Eliane Furlan.

Junto com Eliane, outros servidores da Gerência de Auditoria de Licitações e Contratos (GEALC) participam do evento para representar Santa Catarina: Cristina Keller Sartori, Leda Leite Pereira Cipoli Ribeiro, Eduardo Maciel Bittencourt, Ricardo Cavalcanti Peixoto Filho e Luciana Zanatta.

Os painéis desta primeira edição abrangeram os principais temas da administração e da fiscalização sobre os recursos públicos: contabilidade, licitações e contratos, obras, atos de pessoal, transferências voluntárias e participação dos empresários nas compras e contratações de serviços.

“Importante ressaltar a forma de apresentação dos temas pelos palestrantes que proporcionaram um debate bem interessante para despertar o interesse dos participantes que puderam interagir com perguntas e contribuir com a discussão”, considerou o auditor interno Eduardo Maciel Bittencour sobre as atividades da programação.

A palestra de abertura do evento foi do jurista paranaense Romeu Felipe Bacellar Filho, referência nacional em Direito Público. No encerramento, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler falou sobre a aplicação da Lei Anticorrupção nos Estados e municípios.

O presidente do TCE-PR, conselheiro Ivan Bonilha, manifestou a satisfação de que o Tribunal de Contas possa oferecer um grande evento gratuito de capacitação. “Além da função fiscalizatória e sancionadora, que temos a obrigação de cumprir, somos um importante agente de capacitação técnica dos administradores, para a melhoria da qualidade do gasto e, em consequência, dos serviços públicos”, afirmou Bonilha.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com informações da Diretoria de Comunicação Social do TRE-PR

“A empresa deve reparar integralmente o dano que causou”, frisa ministro da CGU

O ministro da Controladoria-Geral da União, Valdir Simão, destacou que as empresas envolvidas em atos de corrupção no âmbito da Lava jato precisam devolver recursos desviados dos atos de corrupção. A declaração foi feita durante a palestra de abertura do Congresso Brasileiro de Auditoria Interna, ocorrido em Curitiba, no Paraná.

Durante o evento, Simão detalhou como deve ser o trabalho de prevenção, apuração e combate a ilícitos nas organizações. “É preciso garantir que a empresa repare integralmente o prejuízo que ela causou, que coopere com as investigações e que adote um programa de integridade para que esses atos não sejam cometidos novamente”, frisou o titular da CGU.

O ministro reiterou também o quanto é essencial que organizações tenham mecanismos fortalecidos de controle e auditoria. “É importante o fortalecimento da área de controle interno e auditoria. Os profissionais devem contribuir para que as empresas adotem programas de integridade e medidas efetivas que evitem a prática de atos lesivos. Depois do ato praticado e o dinheiro desviado, é muito difícil a sua recuperação”, pontuou.

Simão ressaltou, também, que de acordo com a Lei Anticorrupção é competência da CGU a celebração de acordos de leniência. Atualmente, a Controladoria-Geral da União trabalha com processos de responsabilização de 29 empresas no âmbito da operação Lava Jato, sendo seis delas com manifestação de interesse em fechar um acordo de leniência.

Ministro-chefe da CGU ao lado do presidente do IIA Brasil, Andre Marini
Ministro-chefe da CGU ao lado do presidente do IIA Brasil, Andre Marini

Com informações da CGU

Auditores internos da DIAG participam do maior evento da categoria no país

Começou no último domingo (18), o 35° Congresso Brasileiro de Auditoria Interna (CONBRAI), em Curitiba. Organizado pelo Instituto dos Auditores Internos do Brasil (IIA Brasil), o congresso terá painéis para atualizar os conhecimentos dos participantes e conhecer novas tendências do setor. De Santa Catarina, participam os auditores internos do Poder Executivo: Marisa Zikan, Rodrigo Stigger Dutra, Ademar Senabio Filho e Eduardo Maciel Bittencourt.

Até a próxima quarta-feira (21), os profissionais debaterão temas importantes para o desenvolvimento da carreira no cenário nacional e internacional. A programação prevê mais de 30 painéis durante os quatro dias de evento, além de uma grande área de exposições. Este é o maior evento do país focado na profissão e é organizado pelo Instituto dos Auditores Internos do Brasil (IIA Brasil).

Em um amplo estudo econômico do governo dos Estados Unidos, divulgando um relatório com as 10 principais profissões em ascensão no país até 2018, a auditoria interna aparece na quinta colocação no grupo Financial Examiners, sendo apontada como uma das que mais será valorizada. Atualmente estima-se que haja mais de 40 mil auditores internos exercendo a profissão no Brasil.

Este slideshow necessita de JavaScript.