Florianópolis recebe Seminário do Banco Mundial e do Conaci sobre Gestão de Riscos, Governança e Auditoria Interna

Florianópolis recebe uma etapa do ciclo de Seminários de Controle Interno, organizado pelo Conaci em parceria com o Banco Mundial. A cidade é a segunda a receber o evento, depois de Natal (RN), do total de seis encontros que serão realizados em todo País. O evento ocorrerá no dia 7 de maio, das 9h às 17h, no Teatro Pedro Ivo. Palestrantes de renome nacional compõem as seis conferências previstas na programação, que tem como tema “Gestão de Riscos para Boa Governança – O Papel da Auditoria Interna”.

Em Santa Catarina, o seminário será organizado com o apoio da Diretoria de Auditoria Geral (DIAG) da Secretaria da Fazenda e do Sindiauditoria. Ele é uma oportunidade para reforçar a importância da criação da Controladoria Geral do Estado, que deve ocorrer em breve, e a reorganização de todo o sistema de controle interno Estadual, de forma a contribuir para o aperfeiçoamento da gestão pública catarinense.

Os temas que serão abordados no seminário detalharão o conceito de auditoria interna contemporânea, seu viés de agregar valor à gestão, com trabalhos de consultoria que ajudem o aprimoramento da gestão pública, por meio da melhora na eficácia dos processos de gerenciamento de riscos, controle e governança.

O controle interno é uma função administrativa, que busca ajudar o gestor público a agir com legalidade e em conformidade com a norma. É um auxílio para que a execução seja mais eficiente e que os resultados sejam revertidos em serviços prestados de forma mais adequada à sociedade.

As inscrições são gratuitas e limitadas. Para mais informações acesse: https://doity.com.br/seminario-gestao-de-riscos

WhatsApp Image 2019-04-15 at 18.02.05

Programação

Durante a parte da manhã (9h-12h), os três temas abordados são: “O Controle Interno como instrumento alavancador de resultados: uma visão do Banco Mundial”, por Susana Philomeno Amaral (especialista em Gerenciamento Financeiro do Banco Mundial); “Auditoria Interna Governamental como instrumento de agregação de valor à Administração Pública”, por Sergio Filgueiras de Paula (auditor e coordenador Geral de Métodos, Capacitação e Qualidade da Controladoria Geral da União); e “A importância da Gestão de Riscos para melhoria da governança”, por Rodrigo Fontenelle de Araújo Miranda (controlador-geral do Estado de Minas Gerais).

Em seguida, outras três conferências são previstas na parte da tarde (14h-17h): “Implementando a Gestão de Riscos no Setor Público – experiência do Distrito Federal”, por Paulo Ribeiro Lemos (auditor e controlador-chefe da Controladoria DFTrans); “Diagnóstico e estruturação da 1ª e 2ª linhas de defesa – resultados do Espírito Santo”, por Denis Prates (coordenador de Harmonização do Controle Interno da Secretaria de Controle e Transparência do Estado do Espírito Santo); e “Implementação do Modelo de Capacidade de Auditoria Interna (IA-CM), por Paulo Ribeiro Lemos (Auditor e Controlador Chefe da Controladoria DFTrans).

Conaci e Banco Mundial

A parceria das instituições tem como intuito principal promover o desenvolvimento do Controle Interno no país, por meio da conscientização dos gestores sobre a sua importância, para alcançar resultados de forma segura e transparente. Além de promover padronização de conceitos entre os profissionais da área. A secretária executiva do CONACI, Renata Rezende, explica como o projeto fortalece o Controle Interno. “Por meio destes seminários com o apoio e suporte do Banco Mundial buscamos a disseminação das melhores práticas internacionais em matéria de auditoria e controle interno”, pondera.

O coordenador do grupo-geral de trabalho do projeto, Marconi Lemos, fala sobre os temas trazidos nos eventos. “Conceitos modernos de auditoria interna são os principais assuntos pautados nos seminários. Eventualmente abordamos integridade ou outra questão que esteja sendo tratada localmente. Mas os conceitos de gestão de riscos, três linhas de defesa, auditoria interna diferenciando de inspeção financeira, são notoriamente, o escopo central dos seminários”, afirma.

Capture d’écran 2019-04-14 à 16.59.50
O primeiro Seminário ocorreu em Natal (RN) no dia 8 de abril (Foto: Conaci/Diculgação)

CONACI representa o Brasil no fórum do Banco Mundial na Geórgia

O Conselho Nacional de Controle Interno (CONACI) viajou até a Europa Oriental para participar do Fórum PEMPAL IACOP – Comunidade de Práticas de Auditoria Interna Governamental, organizada e liderada pelo Banco Mundial, realizado na cidade de Tbilisi, na Geórgia.  A equipe esteve representada pelo Contador e Auditor-Geral do Estado do Rio Grande do Sul e presidente do CONACI, Álvaro Fakredin; e pelo Controlador Geral do Estado de Rondônia (CGE/RO), Francisco Netto.

O evento, realizado de 29 de outubro a 02 de novembro, teve a participação de 31 países, reunindo 75 autoridades mundiais. Dentre os presentes, destaque para a participação do Vice-Ministro das Finanças da Geórgia, Sr. Giorgi Kakauridze e a Chefe da CHU, Ministra das Finanças da Geórgia, Sra. Giuli Chkuaseli.

Durante o encontro, os principais temas abordados foram: Metodologia COSO e as 3 linhas de defesa; ferramentas de avaliação aplicadas na Holanda; introdução ao ambiente de Controles Internos e seus princípios; os principais avanços obtidos pelo grupo de trabalho de Auditoria Interna; os avanços das reformas da Geórgia na organização de sua auditoria e Controle Interno; os principais desenvolvimentos obtidos pelo PEMPAL IACOP nos últimos 10 anos, em seus 23 países membros; como demonstrar o valor da Auditoria Interna no Setor Público; melhores práticas em avaliar a efetividade da Auditoria Interna e  marketing da Auditoria Interna – o modelo da Áustria.

AK_PEMPAL
O Conaci foi representado pelo Contador e Auditor-Geral do Estado do Rio Grande do Sul e presidente da instituição, Álvaro Fakredin (centro)

Para Fakredin, a reunião realizada na Geórgia além de muito relevante e proveitosa, serviu para consolidar a vontade recíproca entre CONACI e PEMPALIACOP de trazer a metodologia para a América Latina. “Essa metodologia é de extrema importância, tanto por sua forma de organização como pelos conceitos já materializados – um trabalho fundamental e já estabelecido. Trazer a metodologia PEMPAL para a América Latina e para o Brasil será de grande valor para a Auditoria Interna e Controle de Governos, especialmente por intermédio da parceria com o Banco Mundial” concluiu.

O presidente do CONACI agradeceu ao PEMPAL por oportunizar que outro controlador brasileiro (Francisco Netto – CGE/RO) pudesse acompanhar o Fórum. “Esta é uma forma de também disseminar os conhecimentos e sobretudo manter a consolidação do vínculo do CONACI com as grandes instituições e as maiores tecnologias de especialistas do mundo na área da Governança Pública, Controle e da Auditoria Interna Governamental”, ressaltou.

Santa Catarina participa do workshop de Controle Interno promovido pelo Banco Mundial em Brasília 

Os grupos de trabalho do Conaci (Conselho Nacional de Controle Interno)  se reuniram novamente esse ano, desta vez na Capital federal durante os dias 15 e 16 de junho. O Banco Mundial recebeu os participantes na sede da organização para um workshop sobre controle interno. De Santa Catarina, o auditor interno do Poder Executivo Rodrigo Stigger Dutra participou do evento que contou também com a participação de gestores e de controladores de vários estados do Brasil e representantes do Ministério da Transparência e do SERPRO.

A abertura foi realizada por Rafael Munoz, líder do Setor Público de Governança para o Brasil do Banco Mundial, Flávio Jucá, vice-Presidente do CONACI, e Lúcio Carlos de Pinho, controlador-geral do DF. Munoz recordou as mudanças que o Brasil tem passado e defendeu a aprovação do PL nº 295, que estabelece novas regras para a elaboração de orçamentos públicos e normas para o controle de gastos e a contabilidade pública. “A nova lei de finanças públicas muda muito, mas muda para melhor”, disse. Jucá destacou a importância da parceria entre o CONACI e o Banco Mundial e os avanços que os estados têm apresentado. “A parceria Banco Mundial e CONACI tem servido para fincar estacas e não retroceder”, disse.

O controlador-geral do Distrito Federal (CGDF), Lúcio Pinho, fez breve relato sobre a evolução da CGDF nos últimos três anos, avaliando sua participação junto ao Conaci, e frisou a relevância da implantação do modelo de capacidade de auditoria interna IA-CM, responsável por alavancar a atuação da CGDF e impulsioná-la a ser exemplo como órgão de controle interno e gestão. Pinho afirmou que o IA-CM deve ser adotado pelos órgãos de controle em todo o país, com o respaldo do CONACI, de forma a aperfeiçoar o sistema de controle interno nacional.

Liane Angoti, controladora adjunta do DF, apresentou as ações do Grupo de Trabalho Modelo de Capacidade de Auditoria Interna (IA-CM), o qual é coordenado pela CGDF, e teve outras duas participações: “Impacto das Mudanças no IA-CM”, e “apresentação da experiência da visita técnica à Indonésia”. Segundo Liane, o workshop foi mais um passo para juntar as ilhas de excelência espalhadas pelo Brasil em prol da melhoria do controle interno de todo o país.

CGDF-20.06
O auditor interno Rodrigo Stigger Dutra representa Santa Catarina nas ações do Conaci e do Banco Mundial

Programação

O encontro ainda teve as apresentações dos grupos de trabalho Normas Profissionais, Treinamento e Certificação, Legislação, e Seminário de Conscientização e Promoção do Controle Interno. Também ocorreram as palestras: “Identificar as melhores práticas de gestão de riscos e outras iniciativas adotadas”, por Rodrigo Fontenelle do Ministério do Planejamento; Ambitious Module do IA-CM e TCC, com Carlos Moraes de Jesus do Serpro; Impacto da Lei da Estatais Federal / Estados e como o TCU/CONACI/CGU têm interagido, com Jetro Coutinho (TCU) e Rogério Reis (CGU); Lei de Finanças Públicas – Desafios aos órgãos de controle interno, com Alexandre de Sales Lima (CGU); e Estágio de adoção do IA-CM nos estados e municípios.

Com informações da Assessoria de Comunicação da CGDF