Controladoria Geral do Estado realiza auditoria em hospitais de Santa Catarina

A Controladoria-Geral do Estado (CGE) realizou no último domingo, 8, auditoria nos serviços terceirizados de lavanderia e locação de enxoval em cinco hospitais da Grande Florianópolis. O mesmo trabalho será feito, durante a semana, nos maiores hospitais de Santa Catarina. Os serviços representam, em todo o Estado, cerca de R$ 23 milhões ao ano.

“O objetivo dessa verificação é o cumprimento do contrato. Este é um serviço importante para a área da saúde e que demanda um recurso significativo”, disse o controlador-geral do Estado, Luiz Felipe Ferreira. Neste domingo, os hospitais auditados foram o Hospital Infantil, Maternidade Carmela Dutra, Hospital Celso Ramos, Hospital Regional de São José e Instituto de Cardiologia.

A primeira conferência é feita nas balanças, já que o serviço é pago de acordo com o peso das roupas e enxovais. Além disso, existe uma verificação dos serviços prestados e também no material entregue. “Assim, podemos saber se as empresas estão atendendo os requisitos previstos no contrato. Com esse trabalho, nós garantimos o correto uso do dinheiro público e cumprimento do serviço para população”, disse Ferreira.

O trabalho tem o apoio do Instituto de Metrologia do Estado (Imetro), que é o responsável por verificar o correto funcionamento das balanças que pesam o enxoval e roupas. A supervisão de todo o trabalho é feita pela equipe de Auditores Internos do Poder Executivo.

florianopolis_-_cge_realiza_auditoria_nos_hospitais_de_sc_20190908_1535958175
O gerente de Auditoria de Licitações e Contratos, César Fernando Cavalli coordena a operação que continua em outras unidades hospitalares   (Julio Cavalheiro / Secom) 

“Em caso de irregularidade, a gente comunica a unidade hospitalar, a empresa contratada e também a Secretaria da Saúde. Dessa forma, eles podem rever o contrato e adaptar o serviço para atender melhor a população e diminuir custos para o Estado”, disse César Fernando Cavalli, auditor interno do Estado.

Segundo o controlador-geral, esse serviço de auditoria não se limita ao horário comercial.  “O que nós precisamos entender é que o Estado funciona, em algumas ações, 24 horas por dia. É impossível um setor de controle atender demandas só em horário comercial. Isso significa que outros trabalhos vão acontecer independente do dia, horário e local”, comentou.

florianopolis_-_cge_realiza_auditoria_nos_hospitais_de_sc_20190908_1968508843
Para o controlador-geral, Luiz Felipe Ferreira, a CGE é responsável por acompanhar todas as despesa públicas. Isso pode acontecer em hospitais, escolas ou qualquer obra de responsabilidade estadual. (Julio Cavalheiro / Secom)

Com informações de  Luiz Gustavo Silva (Secom/Governo do Estado)

Anúncios

Gestão de riscos na administração pública é tema de seminário em Florianópolis

Encontrar maneiras de reduzir as ameaças à administração pública e melhorar o uso de recursos financeiros estão entre os objetivos do Seminário “Gestão de Risco para a Boa Governança: o papel da Auditoria Interna”, que ocorreu no último dia 7 de maio. O encontro, realizado no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis, reuniu gestores, servidores e técnicos do Governo do Estado para um dia de atualização e debates sobre a auditoria interna contemporânea, seu viés de agregar valor às instituições, por meio da melhora da eficácia dos processos de gerenciamento de riscos, controle e governança.

“O tema é muito relevante porque temos que conhecer o risco, fazer a prevenção, o cenário e elaborar as respostas para esses problemas. As companhias de seguros, os bancos, estão muito acostumados a fazer esse tipo de trabalho, e nós do setor público também temos que fazer, porque só vamos ver o efeito de uma má gestão de risco no futuro. É o Estado que sofre as consequências”, afirmou o secretário de Estado da Fazenda (SEF), Paulo Eli, na abertura do encontro. Como exemplo, estão casos em que o governo precisa se assegurar que uma empresa contratada para realizar uma obra complexa terá competência técnica para finalizá-la ou em garantir segurança jurídica para fazer um contrato de serviço terceirizado.

seminario_gestao_de_risco_para_a_boa_governanca__20190507_2094258699
A Diretoria de Auditoria Geral promoveu o evento em parceria com o Conaci, o Banco Mundial e apoio do Sindiauditoria (Foto: James Tavares/ Secom)

Para o professor Luiz Felipe Ferreira, que assumirá a Controladoria-Geral do Estado (CGE/SC) e representou o governador Carlos Moisés no evento, o seminário é muito importante neste momento em que a reforma administrativa tramita na Assembleia Legislativa. “O Estado irá ganhar uma unidade autônoma de gestão de riscos que virá a ser a CGE. Queremos desmistificar o viés exclusivamente fiscalizatório do órgão, porque ele terá o papel de potencializar e alavancar a atuação dos auditores internos da SEF para o uso correto do recurso público e a boa gestão”, disse o futuro controlador-geral do Estado.

seminario_gestao_de_risco_para_a_boa_governanca__20190507_1380458654
Para o o professor Luiz Felipe Ferreira o seminário é muito importante neste momento em que a reforma administrativa tramita na Assembleia Legislativa (Foto: James Tavares/ Secom)

Importância do controle interno

Durante a primeira palestra do evento, a especialista em Gerenciamento Financeiro do Banco Mundial, Susana Philomeno Amaral, abordou a importância da utilização do Controle Interno como ferramenta para alavancar resultados. “Ele deve ter um papel ativo na reformulação administrativa das organizações e a gestão deve ser pró-ativa, com responsabilidade dos gestores e participação efetiva das equipes de trabalho”, afirma. Na sequência, o tema foi “Auditoria Interna Governamental como instrumento de agregação de valor à Administração Pública”, apresentado pelo coordenador Geral de Métodos, Capacitação e Qualidade da Controladoria Geral da União, Sérgio de Paula. “O Controle Interno está presente no dia a dia e na execução das tarefas dos gestores no Poder Público, por isso a importância de discutir o tema. Transformar a sociedade , entregar bons serviços ao cidadão e atender as demandas sociais são obrigações do Estado”, pontua. “Antes o foco da auditoria interna era o controle e os processos. Agora o objetivo é verificar e gerenciar os riscos para alcançar as metas e mitigar as ameaças”, explica.

seminario_gestao_de_risco_para_a_boa_governanca__20190507_1959348222
Susana Philomeno Amaral (Banco Mundial) destacou a importância do Controle Interno para alavancar resultados (Foto: James Tavares/ Secom)

Ciclo de seminários 

O evento faz parte do ciclo dos seminários programados para o primeiro semestre de 2019, originado da parceria entre o Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci) e o Banco Mundial. A parceria das instituições tem como intuito principal promover o desenvolvimento do Controle Interno no país, por meio da conscientização dos gestores sobre a sua importância, para alcançar resultados de forma segura e transparente. Além de promover padronização de conceitos entre os profissionais da área.

Confira as datas dos próximos seminários : 

10 de maio – Recife (PE)

17 de maio – Belo Horizonte (MG)

31 de maio – João Pessoa (PB)

05 de junho – Rio de Janeiro (RJ)

10 de junho – São Paulo (SP)

CONACI representa o Brasil no fórum do Banco Mundial na Geórgia

O Conselho Nacional de Controle Interno (CONACI) viajou até a Europa Oriental para participar do Fórum PEMPAL IACOP – Comunidade de Práticas de Auditoria Interna Governamental, organizada e liderada pelo Banco Mundial, realizado na cidade de Tbilisi, na Geórgia.  A equipe esteve representada pelo Contador e Auditor-Geral do Estado do Rio Grande do Sul e presidente do CONACI, Álvaro Fakredin; e pelo Controlador Geral do Estado de Rondônia (CGE/RO), Francisco Netto.

O evento, realizado de 29 de outubro a 02 de novembro, teve a participação de 31 países, reunindo 75 autoridades mundiais. Dentre os presentes, destaque para a participação do Vice-Ministro das Finanças da Geórgia, Sr. Giorgi Kakauridze e a Chefe da CHU, Ministra das Finanças da Geórgia, Sra. Giuli Chkuaseli.

Durante o encontro, os principais temas abordados foram: Metodologia COSO e as 3 linhas de defesa; ferramentas de avaliação aplicadas na Holanda; introdução ao ambiente de Controles Internos e seus princípios; os principais avanços obtidos pelo grupo de trabalho de Auditoria Interna; os avanços das reformas da Geórgia na organização de sua auditoria e Controle Interno; os principais desenvolvimentos obtidos pelo PEMPAL IACOP nos últimos 10 anos, em seus 23 países membros; como demonstrar o valor da Auditoria Interna no Setor Público; melhores práticas em avaliar a efetividade da Auditoria Interna e  marketing da Auditoria Interna – o modelo da Áustria.

AK_PEMPAL
O Conaci foi representado pelo Contador e Auditor-Geral do Estado do Rio Grande do Sul e presidente da instituição, Álvaro Fakredin (centro)

Para Fakredin, a reunião realizada na Geórgia além de muito relevante e proveitosa, serviu para consolidar a vontade recíproca entre CONACI e PEMPALIACOP de trazer a metodologia para a América Latina. “Essa metodologia é de extrema importância, tanto por sua forma de organização como pelos conceitos já materializados – um trabalho fundamental e já estabelecido. Trazer a metodologia PEMPAL para a América Latina e para o Brasil será de grande valor para a Auditoria Interna e Controle de Governos, especialmente por intermédio da parceria com o Banco Mundial” concluiu.

O presidente do CONACI agradeceu ao PEMPAL por oportunizar que outro controlador brasileiro (Francisco Netto – CGE/RO) pudesse acompanhar o Fórum. “Esta é uma forma de também disseminar os conhecimentos e sobretudo manter a consolidação do vínculo do CONACI com as grandes instituições e as maiores tecnologias de especialistas do mundo na área da Governança Pública, Controle e da Auditoria Interna Governamental”, ressaltou.