“Seu candidato fala sobre controle interno?”, por Frederico da Luz

Falta apenas alguns dias para o segundo turno das eleições e chegou agora de decidir para quem vai o seu voto. Se você já escolheu seus candidatos ou ainda faz parte dos indecisos, não importa. O auditor interno do Poder Executivo Frederico da Luz tem uma pergunta para você no jornal Diário Catarinense de hoje: o político que você apoia fala sobre controle interno?

Talvez, ao ler “controle interno” você também não saiba muito bem do que se trata. Uma das razões pela qual esse trabalho segue desconhecido pela população é histórica. A primeira previsão de Controle Interno na Constituição da República foi feita apenas em 1967, ou seja, fazem somente 51 anos. De lá para cá, a função foi sendo sedimentada na Administração Pública e vem se tornando uma importante ferramenta, não apenas para prevenir de desperdícios ou fraudes, mas principalmente para aprimorar ações e agregar valor à atuação estatal.

O controle interno é uma função administrativa, que busca ajudar o gestor público a agir com legalidade e em conformidade com a norma. É um auxílio para que a execução seja mais eficiente e que os resultados sejam revertidos em serviços prestados de forma mais adequada à sociedade. Cada esfera de poder – Legislativo, Executivo e Judiciário – de todos os entes da Federação devem ter uma estrutura que seja responsável pelo controle interno.

 

 

E2C5A80D-E517-4EBD-84AB-419B0F719AF9.jpeg
Publicado originalmente no jornal Diário Catarinense de 24 outubro de 2018. Os artigos assinados pelos nossos  afiliados não representam necessariamente a posição/opinião da instituição. 
Anúncios

Regras para o gasto público?

No Diário Catarinense desta terça-feira (11), o auditor interno do Poder Executivo e atual diretor de Captação de Recursos e da Dívida Pública, Wanderlei Pereira das Neves, se posiciona em relação a tramitação da PEC 241 no Congresso Nacional.

Clipping

Últimas semanas: Controladoria recebe artigos para nova edição de Revista da CGU

A Controladoria-Geral da União (CGU) recebe, até o dia 28 de fevereiro, artigos para integrar a 12ª edição da Revista da CGU. Iniciativa visa divulgar trabalhos inéditos relacionados às funções institucionais do órgão: controle interno, correição, ouvidoria, transparência e prevenção da corrupção.

Podem participar servidores da Controladoria, bem como pesquisadores brasileiros ou estrangeiros, estudantes e profissionais de outra entidade. Os interessados devem realizar cadastro como autor na página da revista e realizar upload do arquivo do artigo.

Na última edição, foi publicado o artigo “A Credibilidade do Orçamento Federal: um desafio à transparência da despesa pública no Brasil”, de Gustavo Tardelli Alves. Também tiveram divulgação trabalhos sobre auditoria e desastres naturais, avaliação de efetividade do controle interno e processos administrativos disciplinares.

Os textos devem ter entre 10 e 25 páginas e seguir as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Serão permitidos, no máximo, cinco autores por artigo. O lançamento da revista esta previsto para junho de 2016.

Com informações CGU