Florianópolis recebe summit corporativo sobre gestão, tecnologia e sustentabilidade

Começa na próxima sexta-feira (4), em Florianópolis, o LMA Summit 2019. Nomes nacionais se reúnem com a finalidade de discutir soluções para os novos paradigmas de gestão. Por isso, a programação conta com oficinas de aprendizagem, apresentação de cases e interação com os palestrantes. O auditor interno do Estado André Luiz de Rezende participará como mediador do painel Controles, contabilidade, fraudes financeiras e tributos, no dia abertura, às 13h30. 

O LMA é um evento corporativo com quatro objetivos: 1/ projetar os principais cases nacionais, 2/ atuar na disseminação em maior escala de práticas éticas e sustentáveis,  3/ identificar soluções que sirvam de inspiração a outros empreendedores, e 4/ capacitar líderes e colaboradores através de mentores estratégicos que se destacam. Com caráter inovador, o LMA Summit debaterá ainda sobre Sustentabilidade, Integridade nos Négocios; Economia e Gestão, Inovação e Gestão Ética e Sustentável de Recursos Humanos. As atividades encerram no dia 6 de outubro.

As inscrições ainda estão abertas e podem ser realizados no site do evento.

WhatsApp Image 2019-09-30 at 18.29.05
LMA é uma sigla em inglês para Legislação, Gestão e Auditoria

 

Reforma administrativa proposta pelo Governo prevê criação de Controladoria-Geral em Santa Catarina

“A gente que ter a mesma estrutura, a mesma força, e a mesma abrangência de atuação agora na Controladoria-Geral do Estado. Isso é muito importante, não para mim, e nem para o governador, mas para o cidadão que está em casa e quer que o dinheiro dele, o dinheiro público de tributo seja bem aplicado”, afirma o presidente eleito do Sindiauditoria, André Luiz de Rezende, para o jornal NSC Notícias, sobre a reforma administrativa do Governo de Santa Catarina.

Assista a reportagem completa aqui: 

video

Matéria foi ao ar na edição do dia 27 de abril

DIAG fiscaliza empresas do Estado para verificar a implementação da Lei das Estatais

A Diretoria de Auditoria Geral (Diag) está fiscalizando as empresas estatais a fim de averiguar o estágio atual do nível de cumprimento dos requisitos previstos na Lei Federal nº 13.303/2016.

O documento conhecido como Lei das Estatais, cujo prazo final para implementação se deu em 30/06/2018, dispõe sobre o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e suas subsidiárias e estabelece disposições também no que tange às licitações, aos contratos e as formas de fiscalização do Estado e da sociedade.

Os trabalhos in loco, realizados pelos auditores internos do Poder Executivo André Luiz de Rezende, Augusto Puhl Piazza e Rodrigo Stigger Dutra, têm o objetivo de validar as respostas consignadas em questionário eletrônico, respondidos pelas empresas no início deste ano, dando sequência à atividade de averiguação da implementação das alterações legais previstas na referida Lei.

Para Rezende, coordenador da equipe de trabalho, a verdadeira importância dessa verificação é entender, na prática, como estão funcionando as inovações em Governança propostas pela lei. Assim, acompanhando e auxiliando as estatais, podemos garantir não só a implantação, mas, também, a efetividades dessas novas ferramentas de controle.

BADESC4
As fiscalizações in loco estão ocorrendo na CELESC, CASAN, CIASC, BADESC e, em sequência, serão estendidas às demais empresas (Foto:Divulgação/Sindiauditoria)