Pedido de afastamento do controlador-geral do Estado

Sobre o pedido de afastamento do controlador-geral do Estado de Santa Catarina aprovado por unanimidade pela CPI dos respiradores da Assembleia Legislativa do Estado, o SINDIAUDITORIA traz as seguintes ponderações:

1 – Para os auditores internos do Estado não há novidade na premente necessidade de substituição do ainda ocupante do cargo de controlador-geral do Estado:
• em 03/05/2020 o SINDIAUDITORIA encaminhou ao governador do Estado o Ofício nº 006/2020, no qual expunha toda sua preocupação com os fatos divulgados acerca do descontrole na execução das despesas públicas realizadas em razão da pandemia causada pela COVID-19 e solicitava a substituição do atual controlador-geral por um auditor interno de carreira;
• em 06/05/2020, há exatos 50 dias, o inquilino do importante cargo de controlador-geral recebeu documento assinado por maioria absoluta dos integrantes da carreira manifestando apoio à sua urgente substituição por um auditor interno do Estado, entre outras coisas;

2 – O SINDIAUDITORIA ratifica sua opinião sobre a existência de falhas na concepção e organização do atual sistema de controle interno, contexto do qual faz parte a criação da Controladoria-Geral do Estado (CGE) e cujo principal resultado é o retrocesso da eficiência relacionada às ações de controle, situação abordada pelo Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina em recente publicação. Não obstante, o SINDIAUDITORIA corrobora a disposição dos auditores internos do Estado em modificar o atual cenário, característica já demonstrada em outros momentos de crise e que pode ser testemunhada por quem acompanha ao longo do tempo a condução das ações sob responsabilidade desses profissionais;

3 – Desse modo, não se deve confundir a qualidade do desempenho profissional dos auditores de carreira ao executarem atividades técnicas de controle e asseguração com o brilhantismo de decisões vinculadas à gestão da Controladoria-Geral do Estado. É o titular do órgão quem decide a natureza de trabalhos excepcionais e sua data de início, como é o caso do apoio na estruturação dos processos de compras emergenciais para enfrentamento de pandemia;

4 – O SINDIAUDITORIA defende que a Controladoria-Geral do Estado existe para proteger os interesses do Estado e que o ocupante do cargo máximo de liderança precisa ser um profissional capacitado e integralmente comprometido com sua missão;

5 – É hora de dar um basta às improvisações: o comando de uma Controladoria-Geral é assunto para profissionais. As grandes mentes são capazes de identificar o momento no qual o maior auxílio que podem prestar é respeitosamente solicitar seu afastamento. É o que humildemente pedimos ao sr. Luiz Felipe Ferreira: exercite sua grandeza e faça o gesto, peça para sair. A sociedade catarinense e a categoria dos auditores internos do Estado merecem uma nova chance para a retomada de um ambiente benéfico à execução da fiscalização e acompanhamento das despesas, condizente com as expectativas de nossos cidadãos e com a história dos auditores internos do Estado.

SINDIAUDITORIA – Controle forte, seu dinheiro bem aplicado

Maurício Martins Arjona é o novo presidente do Sindiauditoria

Os Auditores Internos do Estado elegeram Maurício Martins Arjona como presidente do Sindiauditoria, para a gestão 2020/2021. A Assembleia Geral Ordinária ocorreu ontem, dia 15 de junho, em Florianópolis. Em razão do contexto sanitário atual, os filiados optaram por reduzir o número de participantes para respeitar as medidas de prevenção referentes à pandemia.

A nova diretoria assume com o desejo dar continuidade aos trabalho de valorização da categoria iniciado em gestões anteriores. “Desejo dar continuidade ao trabalho desenvolvido até aqui, ou seja, aproximar o cidadão catarinense da nossa categoria através do conhecimento da nossa atividade e atribuições e buscar incessantemente o fortalecimento da nossa carreira”, explica o presidente eleito.

Para ele é importante neste momento reforçar o papel do Auditor Interno em um órgão de controle interno forte – seja na CGE/SC, onde trabalham atualmente, seja na Secretaria da Fazenda, de onde são originários – e lastrear a valorização profissional e técnica.

Arjona é oriundo do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, onde ocupou o cargo de Oficial de Justiça. Bacharel em Direito e especialista em Direito Material e Processual Civil, ele assumiu o cargo de Auditor Interno do Poder Executivo na SEF/SC em 2007.

Diretoria Executiva 2020/2021

Presidente: Maurício Martins Arjona

Vice-presidente: Thiago Pereira de Freitas

Diretora de Comunicação: Cristina Keller Sartori Biscaro

Diretora Administrativo-financeiro: Christian Corte Real

Diretor Jurídico: Sérgio Augusto Michalczuk

Diretor de Relações Sociais e Intersindicais: Frederico Augusto da Luz

Secretaria: Luciana Zanatta Pompeo

Conselho Fiscal: Ademar Senábio Filho, Pablo dos Santos Combat e Christian Corte Real.

Suplentes do Conselho: Márcio Cassol Carvalho, Benito Adolfo Tessaro et Aginolfo José Nau Júnior.

CGE/SC completa um ano, sem motivos para comemorar

12 de junho de 2020, dia que marca o primeiro aniversário da Controladoria-Geral do Estado (CGE/SC). Sem motivos para comemorar, afinal a controladoria é um órgão de controle em precárias condições para exercer satisfatoriamente suas atribuições, fato relatado pelo próprio controlador-geral em sua pitoresca participação na CPI dos respiradores. Um ano se passou, os resultados (não) estão aí: é de se pensar, um aluno com o desempenho do gestor da CGE/SC certamente estaria reprovado; e um professor?

Esse problema é agravado pela existência da Secretaria Executiva de Integridade e Governança (SIG), fato apontado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Assinala a Corte de Contas que “a manutenção das duas unidades administrativas vai de encontro à boa gestão pública, demonstrando-se ineficiente, em virtude do conflito nas atribuições desempenhadas”, problema já exaustivamente apontado pelos auditores internos do Estado há bastante tempo.

O TCE/SC indica que a solução está na incorporação da SIG pela CGE, iniciativa defendida pelo Sindiauditoria.Além disso, o Sindicato tem insistentemente alertado que somente uma gestão técnica na Controladoria-Geral do Estado permitirá a criação de uma nova dinâmica à execução da fiscalização e acompanhamento das despesas, transformando substancialmente para melhor e para sempre a transparência e o controle dos gastos públicos em Santa Catarina.

Chega de improvisação, chega de achismos: o comando de uma controladoria-geral é assunto para profissionais. A liderança por um Auditor Interno do Estado fará a Controladoria-Geral do Estado produzir os resultados que todos queremos.

Sindiauditoria – Controle forte, seu dinheiro bem aplicado

redes-sociais - copie.001