CONACI representa o Brasil no fórum do Banco Mundial na Geórgia

O Conselho Nacional de Controle Interno (CONACI) viajou até a Europa Oriental para participar do Fórum PEMPAL IACOP – Comunidade de Práticas de Auditoria Interna Governamental, organizada e liderada pelo Banco Mundial, realizado na cidade de Tbilisi, na Geórgia.  A equipe esteve representada pelo Contador e Auditor-Geral do Estado do Rio Grande do Sul e presidente do CONACI, Álvaro Fakredin; e pelo Controlador Geral do Estado de Rondônia (CGE/RO), Francisco Netto.

O evento, realizado de 29 de outubro a 02 de novembro, teve a participação de 31 países, reunindo 75 autoridades mundiais. Dentre os presentes, destaque para a participação do Vice-Ministro das Finanças da Geórgia, Sr. Giorgi Kakauridze e a Chefe da CHU, Ministra das Finanças da Geórgia, Sra. Giuli Chkuaseli.

Durante o encontro, os principais temas abordados foram: Metodologia COSO e as 3 linhas de defesa; ferramentas de avaliação aplicadas na Holanda; introdução ao ambiente de Controles Internos e seus princípios; os principais avanços obtidos pelo grupo de trabalho de Auditoria Interna; os avanços das reformas da Geórgia na organização de sua auditoria e Controle Interno; os principais desenvolvimentos obtidos pelo PEMPAL IACOP nos últimos 10 anos, em seus 23 países membros; como demonstrar o valor da Auditoria Interna no Setor Público; melhores práticas em avaliar a efetividade da Auditoria Interna e  marketing da Auditoria Interna – o modelo da Áustria.

AK_PEMPAL
O Conaci foi representado pelo Contador e Auditor-Geral do Estado do Rio Grande do Sul e presidente da instituição, Álvaro Fakredin (centro)

Para Fakredin, a reunião realizada na Geórgia além de muito relevante e proveitosa, serviu para consolidar a vontade recíproca entre CONACI e PEMPALIACOP de trazer a metodologia para a América Latina. “Essa metodologia é de extrema importância, tanto por sua forma de organização como pelos conceitos já materializados – um trabalho fundamental e já estabelecido. Trazer a metodologia PEMPAL para a América Latina e para o Brasil será de grande valor para a Auditoria Interna e Controle de Governos, especialmente por intermédio da parceria com o Banco Mundial” concluiu.

O presidente do CONACI agradeceu ao PEMPAL por oportunizar que outro controlador brasileiro (Francisco Netto – CGE/RO) pudesse acompanhar o Fórum. “Esta é uma forma de também disseminar os conhecimentos e sobretudo manter a consolidação do vínculo do CONACI com as grandes instituições e as maiores tecnologias de especialistas do mundo na área da Governança Pública, Controle e da Auditoria Interna Governamental”, ressaltou.

Anúncios

“Seu candidato fala sobre controle interno?”, por Frederico da Luz

Falta apenas alguns dias para o segundo turno das eleições e chegou agora de decidir para quem vai o seu voto. Se você já escolheu seus candidatos ou ainda faz parte dos indecisos, não importa. O auditor interno do Poder Executivo Frederico da Luz tem uma pergunta para você no jornal Diário Catarinense de hoje: o político que você apoia fala sobre controle interno?

Talvez, ao ler “controle interno” você também não saiba muito bem do que se trata. Uma das razões pela qual esse trabalho segue desconhecido pela população é histórica. A primeira previsão de Controle Interno na Constituição da República foi feita apenas em 1967, ou seja, fazem somente 51 anos. De lá para cá, a função foi sendo sedimentada na Administração Pública e vem se tornando uma importante ferramenta, não apenas para prevenir de desperdícios ou fraudes, mas principalmente para aprimorar ações e agregar valor à atuação estatal.

O controle interno é uma função administrativa, que busca ajudar o gestor público a agir com legalidade e em conformidade com a norma. É um auxílio para que a execução seja mais eficiente e que os resultados sejam revertidos em serviços prestados de forma mais adequada à sociedade. Cada esfera de poder – Legislativo, Executivo e Judiciário – de todos os entes da Federação devem ter uma estrutura que seja responsável pelo controle interno.

 

 

E2C5A80D-E517-4EBD-84AB-419B0F719AF9.jpeg
Publicado originalmente no jornal Diário Catarinense de 24 outubro de 2018. Os artigos assinados pelos nossos  afiliados não representam necessariamente a posição/opinião da instituição. 

Combate à corrupção e à lavagem de dinheiro em destaque no Encontro Nacional de Controle Interno

Como melhorar a gestão dos gastos públicos, implementar políticas mais efetivas de combate à corrupção e à lavagem de dinheiro, além de aumentar a transparência dos órgãos públicos brasileiros foram alguns dos temas debatidos no primeiro dia do XVI Encontro Nacional de Controle Interno, que iniciou nesta quarta-feira (29), no Amapá. O evento é realizado pelo Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci), em parceria com a Controladoria-Geral do Estado do Amapá (CGE/AP), que também é responsável pela presidência da Junta Fiscal do Conaci.

Durante o evento, nesta quinta-feira (30), o Conaci convocou todos os membros presentes para a entrega de uma placa personalizada, em agradecimento pela contribuição nesta edição do maior evento de Controle Interno Governamental do Brasil. O auditor interno do Poder Executivo Rodrigo Stigger Dutra recebeu a homenagem em nome do Estado de Santa Catarina, acompanhado dos colegas Frederico da Luz e Marisa Zikan.

Com o tema “Controle Interno nos 30 anos da Constituição Federal de 1988”, o encontro teve dois dias de discussões com a participação de profissionais, especialistas, professores e servidores públicos de 20 Estados brasileiros, que compartilharão conhecimentos e experiências sobre a implementação de políticas de controle interno e gestão pública, e aperfeiçoamento das ações preventivas de controle interno.

De acordo com o controlador-geral do Amapá, Otni Alencar, o Estado foi escolhido para sediar o evento por ter se tornado referência nacional em controle interno. “O Amapá está no centro das discussões porque conquistou grandes avanços, como a regulamentação da lei de acesso à informação, o sistema de controle interno integrado dos poderes, onde todos sentam para discutir, de forma harmônica, sobre o controle interno. E o Conaci, reconhecendo esses avanços, decidiu realizar aqui esse grande encontro nacional”, frisou Alencar.

O presidente do Conaci, Álvaro Fakredin, destacou que o momento também servirá para avaliar os avanços no controle interno brasileiro nos últimos 30 anos, celebrando o marco dos 30 anos da Constituição Federal de 1988. “Além de avaliar os avanços, vamos contar com a experiência de grandes profissionais para aperfeiçoar essa matéria constitucional no âmbito das esferas municipais e estaduais, ou seja, os temas que serão apresentados aqui serão o que temos de melhor nesse assunto”, destacou o presidente.

O secretário federal de Controle Interno, Antonio Carlos Bezerra Leonel, lembrou que essa discussão ocorre em um momento bastante oportuno, justamente quando o Brasil está definindo os nomes que deverão administrar o país nos próximos anos. “É importante que o país esteja preparado para fornecer esse tipo de auxílio no controle interno”, ressaltou Leonel.

WhatsApp Image 2018-08-30 at 21.02.54
De Santa Catarina, participam do evento os auditores internos Rodrigo Stigger Dutra, Marisa Zikan e Frederico da Luz

Debates

A programação iniciou com a Conferência Magna de Abertura – A História do Controle Interno desde a Constituição Federal de 1988. O debate seguiu com a realização de seis painéis de discussão, que abordaram temas relacionados ao combate à corrupção e à lavagem de dinheiro, o controle interno como instrumento de governança e o fortalecimento e empoderamento do controle interno.

À tarde, o destaque foi a palestra da coordenadora-geral de Articulação Institucional do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça, Silvia Amélia Fonseca de Oliveira, que explicou como é construída a Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA). Ela discorreu sobre os marcos legais já em vigor. Também apresentou ferramentas tecnológicas para identificação de ações para lavar dinheiro.

Reunião Técnica

Nos dias 30 e 31 de agosto acontece, também, a 28ª Reunião Técnica do Conaci, momento em que os membros do conselho discutem temas técnicos e deliberam sobre os assuntos administrativos.Na ocasião, diversos representantes governamentais de controle interno da União, Estados e capitais brasileiras debaterão assuntos relacionados ao fortalecimento do setor, bem como deliberações e articulações para implementação de melhorias de gestão.

WhatsApp Image 2018-08-31 at 16.13.45
O presidente do Conaci, Álvaro Fakredin, entregou para o Estado de Santa Catarina um agradecimento pela contribuição nesta edição do maior evento de Controle Interno Governamental do Brasil. O auditor interno Rodrigo Stigger Dutra recebeu a placa em nome de todos os colegas da Auditoria Geral da Fazenda

O Conaci

Atualmente, a instituição é composta 49 membros, representantes de secretarias de controle interno, auditorias gerais e ouvidorias gerais de 27 Estados, Distrito Federal, União e 19 capitais. Sua atuação se dá a partir do intercâmbio de conhecimentos, práticas e informações, possibilitando um trabalho conjunto para a formulação, implementação e avaliação de políticas nacionais de controle e gestão. Fazem parte de suas atividades a coordenação e articulação das ações de interesse dos órgãos de controle interno, a realização de debates e eventos de interesse dos órgãos de controle interno, a coordenação e o desenvolvimento de programas e projetos voltados à construção de mecanismos de controle que possibilitem ao país avançar econômica e socialmente, aproximando o poder público dos cidadãos.

Com informações do Conaci