Campanha global de auditoria incentiva a conquista de certificações profissionais

Maio é o mês global da auditoria interna. A campanha ‘IIA May’ abrange 170 países e cerca de 190 mil associados ao The IIA – The Institute of Internal Auditors, a principal entidade da carreira no planeta. O foco é mostrar a empresas e governos a importância de investir nesses profissionais a fim de elevar os níveis de governança, gestão e ética em todas as organizações. Áreas de auditoria interna fortalecidas são consideradas cruciais para o equilíbrio e crescimento sustentável da economia global.

Por aqui, o Instituto dos Auditores Internos do Brasil (IIA Brasil), aderiu a campanha global e lançou uma promoção que isenta a taxa de habilitação para a conquista do CIA – Certified Internal Auditor, respeitada pelo mercado como a principal certificação profissional – quase como a OAB para advogados. Para obtê-la o auditor precisa passar por diversas avaliações técnicas e de cunho ético. Devido sua complexidade, o tempo médio de aquisição é de dois anos. Atualmente, é raro uma grande corporação contratar um auditor interno sem o CIA.

people-3370833_1920
Durante o IIA May, o Instituto dos Auditores Internos do Brasil lança campanha que isenta a inscrição para a obtenção do CIA – Certified Internal Auditor

Segundo Fabio Pimpão, diretor de Normas e Certificações do IIA Brasil, o IIA May tem a missão de despertar a atenção do mercado para a importância de valorizar a profissão para que empresas possam atuar em ambientes corporativos mais justos e, consequentemente, tornarem-se mais competitivas. “É inegável a necessidade de o Brasil contar com mais auditores qualificados, em empresas públicas e privadas, nesse momento crítico de combate a fraudes corporativas. É uma profissão que se tornou estratégica, e exige preparo de nível global para enfrentar os constantes desafios do mercado”, explica Pimpão.

Além da isenção na taxa de habilitação do CIA, o The IIA também lançou o Building Awareness Champion. Trata-se de uma premiação que reconhecerá as empresas engajadas na missão de promover mais conhecimento sobre a atividade de auditoria interna. Até o final desse mês, o IIA Brasil concede desconto nos treinamentos preparatórios (CIA1 e CIA 2), nos materiais didáticos (CIA 1, CIA 2 e CIA 3) e no Gleim Online da certificação. Mais informações sobre o IIA May em iiabrasil.org.br

Anúncios

“Os caminhos encontrados pelos indonésios devem ser levados em consideração por nós”

Recém chegado da Indonésia, onde participou de uma visita técnica, o auditor interno do Poder Executivo Rodrigo Stigger Dutra compartilha um pouco da sua experiência em mais essa missão internacional. A iniciativa faz parte de uma parceria do Conaci (Conselho Nacional de Controle Interno) e do Banco Mundial, com o intuito de promover a troca de informações, experiências e soluções na implantação e desenvolvimento do IA-CM (Internal Audit Capability Model). Participaram dessa etapa, de 19 a 29 de abril, os estados de Santa Catarina e do Distrito Federal.

IMG_3375
Essa é a segunda missão internacional que o o auditor interno  Rodrigo Stigger Dutra intégra junto com o Conaci e o Banco Mundial

Por que a Indonésia? 

As atividades desenvolvidas pelo Conaci estão fortemente caracterizadas pelo intercâmbio de conhecimentos, práticas e informações, possibilitando um trabalho conjunto para a formulação, implementação e avaliação de políticas nacionais de auditoria, controle e gestão. O Conselho mantém parceria com o Banco Mundial com vistas ao fortalecimento dos sistemas de controle interno no Brasil. Um dos principais trabalhos em curso no âmbito dessa parceria diz respeito à implantação e desenvolvimento do Modelo de Capacidade de Auditoria Interna IA-CM (Internal Audit Capability Model), projetado para implementar e institucionalizar uma atividade de auditoria interna eficaz, aspecto estratégico para a obtenção de uma boa governança no setor público. Em razão de sua atuação global, o Banco Mundial possui condições de identificar países nos quais a realidade econômica e social assemelha-se ao caso brasileiro e cujas experiências em auditoria interna e controles internos podem constituir-se em cases inspiradores para o fortalecimento dos sistemas de controles internos brasileiros. É o caso da Indonésia, país que há alguns anos promove a utilização do IA-CM como ferramenta para melhoria da atuação da atividade de auditoria interna e tem por meta para 2019 que ao menos 85% das unidades de auditoria interna que utilizam o IA-CM atinjam o nível 3 do referido modelo (caracterizado pela gestão de auditoria interna e práticas profissionais bem estabelecidas e uniformemente aplicadas).

Quais iniciativas podem ser replicadas no Brasil? Em qual contexto?

Vivemos tempos onde as pessoas colocam como prioridade nacional a prevenção e o combate à corrupção. Mas como fazê-lo de maneira consistente e continuada? Acredito que um bom caminho está no fortalecimento das instituições, da consolidação de uma governança pública de alto nível. A Auditoria Interna pode desempenhar papel relevante para a conquista de tais objetivos quando vocacionada para a avaliação e melhoria dos resultados das operações de uma instituição, com foco no aperfeiçoamento da qualidade dos serviços prestados à população. Santa Catarina, assim como alguns estados e municípios, já iniciou a utilização do IA-CM como ferramenta para aprimorar os trabalhos de sua Auditoria Interna. Contudo, em se tratando de Brasil, entendo que há espaço para que mais entes façam uso deste modelo. O caminho é a multiplicação do conhecimento: aqueles mais avançados devem compartilhar com outros para que estes também progridam e tenham condições, a partir dessa evolução, de repassar os ensinamentos a terceiros e assim criar um ciclo virtuoso.

Essa viagem trouxe algum ensinamento particular que você gostaria de compartilhar?

Foi interessante verificar in loco que lá no outro lado do mundo, em que pesem as diferenças culturais, os problemas vivenciados por auditores internos guardam semelhança com situações enfrentadas pelos mesmos profissionais em nosso país. Vejo isso como sinal de que os caminhos encontrados pelos indonésios para enfrentar e vencer seus paradigmas devem ser levados em consideração por nós, brasileiros, ao construirmos nossas próprias soluções.

 

Prêmio Udesc Esag recebe inscrições até dia 30 de abril

Inscrições para o Prêmio Udesc Esag de Boas Práticas em Gestão Pública encerram na próxima segunda-feira (30). O tema desta edição é “Transparência com Cidadania” e os organizadores buscam iniciativas inovadoras, que consolidam avanços na realização do interesse público. Podem concorrer ao prêmio práticas desenvolvidas em órgãos públicos (da administração direta ou indireta) e organizações da sociedade civil em Santa Catarina. Empresas e profissionais autônomos podem inscrever práticas, desde que executadas em órgãos públicos, organizações da sociedade civil ou na interação entre ambos. Órgãos públicos, empresas e organizações da sociedade civil sediadas em outros estados poderão participar, desde que as práticas inscritas sejam aplicadas em Santa Catarina.

O projeto vencedor ganhará uma viagem técnica para visitar instituições públicas francesas e o segundo lugar uma inscrição em um evento nacional da área. Todas as práticas classificadas como “Boas Práticas” receberão certificado de reconhecimento.Cinco categorias são aceitas: Municipal (Executivo e Legislativo municipal, da administração direta ou indireta);  Estadual (Executivo, Legislativo e Judiciário estadual, da administração direta ou indireta); Federal (Executivo, Legislativo e Judiciário federal, da administração direta ou indireta); Organizações da Sociedade Civil (Organizações de direito privado e fins públicos); e Empresas (Empresas privadas e profissionais autônomos).

Instituída em 2015 e com periodicidade bianual, a iniciativa é do Departamento de Administração Pública do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), realizada com o apoio de diversos parceiros. Para conhecer as modalidades e ter mais informações sobre esta segunda edição, acesse a página do prêmio: http://www.esag.udesc.br/premio.

flyer_premio2018

Cronograma
Período de Inscrição: 01/03/2018 a 30/04/2018
Divulgação das práticas pré-qualificadas e elegíveis: 15/05/2018
Recurso quanto a elegibilidade: 18 a 22/05/2018
Divulgação das práticas classificadas como “Boas Práticas” e dos finalistas: 30/06/2018
Evento de Premiação: 07, 08 e 09/08/2018