Trabalho dos Auditores Internos garante mudanças na gestão do plano SC Saúde e economia de R$ 45 milhões ao ano

O trabalho dos Auditores Internos do Poder Executivo voltou a garantir significativa economia aos cofres públicos, comprovando mais uma vez o quanto o investimento em controle e gestão podem fazer a diferença na administração pública.

Após os pregões eletrônicos para a contratação de novas empresas que vão atuar na gestão do Plano SC Saúde, a economia deve chegar a R$ 45 milhões/ano ao Estado, dinheiro que pode ser reinvestido em serviços em prol dos catarinenses. “Entre a auditoria e a elaboração dos novos editais houve um trabalho de quase dois anos que contou com a expertise do nosso time de auditores internos, que indicaram a necessidade da revisão de critérios para garantir competitividade na escolha e contratação dos serviços, e com a parceria entre Secretaria de Administração e Controladoria Geral do Estado”, explica o presidente do Sindiauditoria, auditor interno Maurício Arjona.

A auditoria foi realizada em 2019. A partir de um serviço de inteligência interna, uma equipe de auditores se debruçou sobre o contrato vigente para verificar o custo efetivo da gestão atual e avaliar as possibilidades de redução. “Entre as recomendações da auditoria, a divisão em lotes foi a que mais impactou financeiramente. Os auditores sugeriram separar o contrato em dois, mas a SEA foi além e dividiu em três, aumentando a competitividade e, consequentemente, reduzindo o valor das propostas”, afirma Cristiano Socas da Silva, Controlador-Geral do Estado.

O Controlador-Geral do Estado reforça a importância da parceria entre os órgãos e a CGE para aumentar a eficiência na gestão pública. O órgão conta com uma ferramenta de Business Intelligence que auxilia no levantamento prévio de inconsistências nos contratos vigentes. A partir das informações levantadas pelo BI, a área de Gestão de Auditoria em Licitações e Contratos da CGE deu início a uma análise apurada do contrato, visando os novos pregões.

A economia para os cofres públicos não ficou restrita ao novo pregão. A Auditora Interna Gisele Rafaeli, que coordenou o trabalho ao lado de André Matos, ressalta que algumas recomendações já foram implantadas pela SEA no contrato vigente, o que resultou em uma economia de R$ 1,4 milhão anual por desconto de serviços que já haviam sido executados. “A cessão dos códigos fonte de toda a solução para a SEA foi feita em 2020, então a empresa não precisava mais prover a estrutura necessária para abrigar e sustentar a solução tecnológica, o que acarretou nesse desconto”, explica Rafaeli. “O trabalho do auditor interno não é apenas apontar os erros, mas também apresentar soluções que tragam benefícios para todos, qualificando o gasto público, que pode ser reinvestido em serviços para o próprio cidadão sem entrar na cota dos repasses constitucionais”, complementa a auditora Gisele Rafaeli.

Outra vantagem da nova forma de gestão tripartite do plano de saúde que atende mais de 200 mil vidas, entre servidores e familiares, é a qualificação dos serviços. “A divisão da gestão em lotes aumenta a vigilância entre as empresas e melhora o foco e a especialização de cada uma. Agora, em vez de uma empresa fazer toda a gestão, cada uma das três vencedoras estará voltada a sua área de atuação específica”, comenta a secretária de Estado da Administração, Ana Cristina Ferro Blasi.

*Com informações da Assessoria de Comunicação da CGE e da SEA

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO SINDIAUDITORIA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s